Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tusk: "Não seremos intimidados por ameaças" sobre o Brexit

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, garantiu esta quarta-feira perante o Parlamento Europeu, em Estrasburgo, que a União Europeia não será intimidada por ameaças no quadro das negociações sobre a saída do Reino Unido do bloco europeu ('Brexit').

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, manifestou-se 'profundamente sentido' com a morte de Mário Soares, destacando o seu 'papel essencial' na consolidação da democracia portuguesa e 'como impulsionador da adesão de Portugal' à União Europeia.
Numa mensagem de condolências enviada ao primeiro-ministro, António Costa, e que pede que seja estendida à família de Mário Soares e ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente do Conselho Europeu aponta que ficou 'profundamente sentido ao tomar conhecimento do falecimento de Mário Soares', sendo este o momento de lamentar a sua perda e 'reflectir sobre a sua vida política'.
'Recordo o papel essencial que Mário Soares desempenhou na consolidação da democracia portuguesa - enquanto primeiro chefe de governo constitucionalmente eleito, e Presidente da República - e como impulsionador da adesão de Portugal às Comunidades Europeias', escreve Tusk na mensagem enviada hoje a António Costa e divulgada em Bruxelas.
Lusa 15 de Março de 2017 às 10:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Numa intervenção perante a assembleia europeia, sobre o Conselho Europeu da semana passada, Tusk observou que "apesar de o 'Brexit' não ter estado na agenda, gostaria de fazer umas observações, já que este é o último encontro (com os eurodeputados) antes de o Reino Unido activar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que desencadeará as negociações.

"Estamos a preparar-nos cuidadosamente para estas negociações, em consultas próximas com os nossos Estados-membros e com o Parlamento Europeu. É nosso desejo que este processo seja construtivo. No entanto, as alegações, que cada vez mais ganham a forma de ameaças, de que a ausência de um acordo seria boa para o Reino Unido e mau para a UE merecem ser comentadas", apontou.

"Quero ser claro: um cenário de não acordo seria mau para todos, mas acima de tudo para o Reino Unido, porque deixaria muitas questões por resolver. Nós não seremos intimidados por ameaças, e posso assegurar-vos que elas simplesmente não funcionarão", acrescentou então.

O presidente do Conselho Europeu -- que na semana passada foi reeleito para um segundo mandato de dois anos e meio -, assegurou por outro lado que tudo fará "para assegurar que União Europeia e o Reino Unido serão amigos próximos no futuro" e reiterou que "a porta da UE permanecerá sempre aberta para os amigos britânicos".

O Governo britânico liderado por Theresa May irá accionar até ao final do corrente mês de Março o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, momento a partir do qual Reino Unido e UE terão um prazo de dois anos para concluir as negociações que estabelecerão os termos da saída dos britânicos do bloco europeu.
Ver comentários
Saber mais Tusk Brexit Reino Unido
Outras Notícias