Finanças Públicas Mário Centeno eleito o ministro das Finanças do ano na Europa pela The Banker

Mário Centeno eleito o ministro das Finanças do ano na Europa pela The Banker

Mário Centeno foi o escolhido para o prémio de melhor ministro das Finanças na Europa, pela revista do Financial Times The Banker.
Mário Centeno eleito o ministro das Finanças do ano na Europa pela The Banker
Sara Antunes 02 de janeiro de 2019 às 11:00

Mário Centeno foi considerado o melhor ministro das Finanças do ano na Europa pela revista The Banker. 

"O ministro das Finanças português Mário Centeno pode olhar para os seus primeiros 12 meses como presidente do Eurogrupo com satisfação merecida. A maratona de negociações que envolveram os ministros das Finanças da Zona Euro no início de Dezembro terminou com as reformas mais significantes para o bloco desde a crise de dívida soberana. O acordo foi alcançado sobre uma série de questões em torno da prevenção e da gestão de futuras crises financeiras", realça a publicação.

A The Banker realça que Centeno terá em 2019 "dois desafios ainda maiores", a união bancária e a credibilidade do projeto europeu.

 

"Centeno foi uma escolha invulgar dos seus pares para um dos cargos mais prestigiantes" na Zona Euro, realça a publicação. "É o primeiro líder do Eurogrupo de um país do sul da Europa e o primeiro de um país resgatado durante a crise financeira. A eleição do economista português, que tem um doutoramento de Harvard, foi um reconhecimento da recuperação surpreendente da economia portuguesa", salienta a mesma fonte.

A The Banker recorda que a taxa de desemprego diminuiu de um máximo de 17%, em 2013, para menos de 7% em 2018; a economia expandiu-se e as previsões apontam para que continue a crescer, ainda que a um ritmo mais moderado; e o défice orçamental foi reduzido prevendo um excedente orçamental em 2020.

 

"A prioridade de Centeno foi reestruturar e recapitalizar quatro dos cinco maiores bancos em Portugal durante 2016 e 2017", com entrada de capital de investidores de muitos países, desde a China aos EUA, passando por Espanha. "O salário mínimo e as pensões foram aumentadas enquanto os impostos sobre as empresas e os que têm rendimentos mais baixos foram reduzidos."

 

"Centeno recebeu elogios pela sua presidência do Eurogrupo e por ser mais conciliador do que o seu antecessor, que era algumas vezes abrasivo", recordando assim Jeroen Dijsselbloem.

Mário Centeno foi assim a escolha para a Europa. Felipe Larrain, ministro das Finanças do Chile, foi eleito o ministro das Américas. Moshe Kahlon, de Israel, foi o premiado para o Médio Oriente, e Mohamed Maait, do Egito foi o vencedor de África.


(Notícia atualizada às 11:15 com mais informação )




pub

Marketing Automation certified by E-GOI