Função Pública Sindicato da Função Pública promete greves e protestos até às eleições

Sindicato da Função Pública promete greves e protestos até às eleições

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) disse hoje que não vai "baixar a guarda" até às eleições legislativas para exigir respostas do Governo, estando já marcadas três greves setoriais e várias manifestações.
A carregar o vídeo ...
Lusa 27 de maio de 2019 às 18:20

"Não vamos baixar a guarda, não vamos desistir e neste momento estão em cima da mesa todas as formas de luta e de protesto exigindo aquilo a que consideramos ter direito, sejam greves, manifestações, concentrações, ou aquilo que temos vindo a fazer que é queixas à Provedoria de Justiça", afirmou o líder da FESAP, José Abraão, em conferência de imprensa, no intervalo da reunião da assembleia-geral da federação.

 

Além da greve e concentração dos inspetores, marcadas para quinta-feira, está agendada para dia 05 de junho uma greve dos oficiais de justiça e, para dia 7 de junho, uma outra paralisação e manifestação dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica.

 

Serão ainda agendadas concentrações em junho junto dos hospitais EPE "que não estão a cumprir o acordo coletivo assinado há precisamente um ano", adiantou José Abraão.

 

"Os problemas dos trabalhadores da administração pública são muitos, estão muito longe de estar resolvidos", considerou o sindicalista, ao sublinhar a ausência de aumentos salariais há dez anos e a "desvalorização" da avaliação de desempenho com o "apagão" dos pontos para progressões, bem como a necessidade de revisão das carreiras gerais.

 

O sindicalista considerou que "hoje estão criadas até melhores condições políticas do que há duas semanas" para dar resposta aos trabalhadores da administração pública, exigindo "respostas objetivas" ou "compromissos com vista à solução" até às eleições legislativas, que se realizam em 06 de outubro.

 

"Esperamos resolver o que é possível resolver até ao final da legislatura e caso não seja possível resolver tudo (...) que haja esse compromisso" da parte do Governo, afirmou o dirigente sindical.

 

José Abraão disse que a federação sindical vai também "desafiar os partidos a dizer o que querem para os serviços públicos, em matéria de investimentos, carreiras, de salários e de condições de trabalho".

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI