Polícia espanhola encerra investigação à morte de Queiroz Pereira após conclusão de morte natural

Ainda não está decidido o local das cerimónias fúnebres, que deverão realizar-se ou na Basílica da Estrela ou no Mosteiro dos Jerónimos
Jornal de Negócios
pub
Lusa 20 de agosto de 2018 às 19:28

A investigação da Polícia Nacional de Espanha à morte do empresário Pedro Queiroz Pereira, que morreu no sábado em Ibiza, foi já encerrada depois de a autópsia ter concluído por causas naturais da morte, disse à Lusa fonte oficial da Semapa.

Segundo a mesma fonte, a autópsia indicou que o empresário teve um ataque cardíaco após o qual caiu das escadas do iate. Já a agência de notícias EFE tinha adiantado a mesma informação com base em fontes policiais.

Quanto ao transporte do corpo para Portugal, a fonte oficial do grupo industrial indicou que acontecerá nas próximas 12 horas, prevendo-se que se realize ainda na terça-feira o velório e na quarta-feira o funeral, em Lisboa.

Contudo, ainda não está decidido o local das cerimónias fúnebres, que deverão realizar-se ou na Basílica da Estrela ou no Mosteiro dos Jerónimos.

Pedro Queiroz Pereira, um dos mais importantes empresários de Portugal, morreu no sábado à noite, aos 69 anos, em Ibiza, onde passava regularmente férias.

pub

Accionista maioritário do grupo Semapa, Queiroz Pereira era proprietário da Navigator, mas também da cimenteira Secil e de negócios na área do ambiente e da energia.

Segundo a revista Exame, Pedro Queiroz Pereira era detentor de uma fortuna avaliada em 779 milhões de euros (em conjunto com a mãe), o que fazia dele o sétimo homem mais rico do país.

pub