Mundo Portugal espera novo investimento chinês no quadro da União Europeia

Portugal espera novo investimento chinês no quadro da União Europeia

O ministro dos Negócios Estrangeiros enunciou cinco objetivos de Portugal no plano do relacionamento económico com a China
Lusa 30 de abril de 2019 às 12:08

O ministro dos Negócios Estrangeiros português afirmou hoje que Portugal quer consolidar as relações económicas com a China no quadro da União Europeia e considerou que este cria "condições muito promissoras" para novo investimento chinês em Portugal.

 

Perante cerca de 250 empresários portugueses e chineses, num seminário económico em Xangai, Augusto Santos Silva destacou o turismo como "área absolutamente decisiva" para o reforço das relações económicas luso-chinesas e defendeu que "a ligação aérea direta é instrumental para esse objetivo".

 

No seu discurso, na presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que se encontra na China em visita de Estado, o ministro dos Negócios Estrangeiros enunciou cinco objetivos de Portugal no plano do relacionamento económico com a China.

 

"O primeiro objetivo é consolidar as relações de investimento entre a China e Portugal", apontou, acrescentando que Portugal quer que esse reforço aconteça "no quadro, em primeiro lugar, dos acordos que estão a ser concluídos entre a União Europeia e a China".

 

Segundo o ministro, "este quadro institucional cria novas condições muito promissoras para a continuação do investimento chinês em Portugal, designadamente de novo investimento, investimento de raiz".

 

Augusto Santos Silva disse que na Cimeira União Europeia/China realizada em abril "os líderes europeus e chineses foram muito claros no compromisso de concluir até 2020 o acordo de proteção de investimento recíproco".

 

"E também foram muito claros ao dizer que era necessário articular a nosso própria iniciativa europeia de promoção da concetividade entre a Europa e a Ásia, por um lado, e do outro lado a iniciativa 'Faixa e Roda', a 'Nova Rota da Seda', liderada pela China", realçou.

 

No final do seu discurso, o ministro dos Negócios Estrangeiros voltou a referir-se às relações económicas luso-chinesas no quadro europeu, afirmando a ambição de "melhorar ainda mais as excelentes relações entre Portugal, a União Europeia e a China".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI