Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Powell admite política mais agressiva da Fed se inflação persistir

Powell sublinhou que "ninguém deve duvidar" da determinação do banco central em combater a inflação e apontou para a possibilidade de as taxas de juro subirem acima do nível neutral.

O banco central, liderado por Jerome Powell, deverá subir a sua taxa diretora pela primeira vez na reunião de março.
Brendan Smialowski/Reuters
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

O presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Jerome Powell (na foto), sublinhou esta terça-feira que "ninguém deve duvidar" da determinação do banco central em combater a inflação, conforme esperado pelo mercado e pelos governadores regionais do banco central, apontando para a possibilidade de as taxas de juro subirem acima do nível neutral.

 

"Vamos continuar a combater até que a inflação caia de forma clara e convincente", declarou Powell durante um evento promovido pelo The Wall Street Journal.

 

Na última reunião, a Fed anunciou uma subida de 50 pontos base da taxa de juro, o maior aumento em 22 anos, que passou assim para um intervalo entre 0,75% e 1%. O presidente do banco central admitiu subidas semelhantes nos dois próximos encontros, um marcado para junho e outro para julho.

 

"Pode haver alguma dor para restaurar a estabilidade dos preços", alertou o presidente da Fed, que não fecha as portas a que as taxas de juro "subam acima do nível neutral", ou seja, acima do equilíbrio entre uma política monetária acomodatícia e restritiva.

Apesar de antever alguma dor, o presidente da Fed acredita que "sendo a economia forte, está bem posicionada para resistir a uma política monetária mais restritiva".

 

"Gostamos de trabalhar com expectativas. Foi bom ver os mercados financeiros a reagirem antecipadamente à forma como estamos a abordar a economia", acrescentou Powell.

 

Em abril, o índice de preços no consumidor norte-americano aumentou para 0,3% em cadeia e para 8,3% em termos homólogos, depois de subir para 8,5% em março – foi o primeiro abrandamento em oito meses, mas os economistas esperavam um abrandamento mais expressivo.

Ver comentários
Saber mais Jerome Powell Fed economia negócios e finanças economia (geral) macroeconomia minérios e metais banco central
Outras Notícias