Europeias Rio: PSD vai ter vida "mais facilitada" nas Europeias porque PS "não foi feliz" na escolha

Rio: PSD vai ter vida "mais facilitada" nas Europeias porque PS "não foi feliz" na escolha

O líder social-democrata, Rui Rio, considerou este domingo que o PSD vai ter a vida "mais facilitada" nas eleições europeias porque o PS escolheu para cabeça-de-lista o ex-ministro Pedro Marques, que tutelou a área "mais fraca" do Governo.
Rio: PSD vai ter vida "mais facilitada" nas Europeias porque PS "não foi feliz" na escolha
Paulo Novais/Lusa
Lusa 10 de março de 2019 às 17:03

"Teremos a vida um pouco mais facilitada que o normal porque o Partido Socialista não foi efetivamente feliz na escolha da sua lista. E não foi particularmente feliz na escolha do seu cabeça-de-lista [o ex-ministro Pedro Marques]", disse hoje Rui Rio na Figueira da Foz, discursando no encerramento da Universidade Europa, perante cerca de 70 jovens militantes e simpatizantes da JSD.

 

Referindo-se ao anterior ministro do Equipamento e das Infraestruturas, cargo que Pedro Marques exerceu no atual Governo até ser anunciado como cabeça-de-lista do PS às eleições europeias de 26 de maio, Rui Rio disse que quando Portugal precisa de investimento "o PS foi escolher para seu cabeça-de-lista exatamente o símbolo contrário" desse investimento.

 

"O símbolo daquele que tendo tutelado o investimento público, durante todo o tempo em que foi ministro, tutelou a área mais fraca do Governo, que tem uma performance perto de zero", observou o presidente do PSD.

 

"E é este Partido Socialista que diz 'reparem no que este homem [Pedro Marques] fez, votem nele por favor'. Mas votem nele por favor para quê? Para ele ir para o Parlamento Europeu com o mesmo nível de atuação e o mesmo nível de performance que teve aqui em Portugal? Não escolheram bem", frisou Rui Rio.

 

Referiu, por outro lado, que Pedro Marques foi ministro de um Governo "que criticava o Governo anterior porque não se fazia investimento público".

 

"A despeito de nós estarmos sob a intervenção da 'troika' e não termos fundos para libertar. Pois bem, [agora] não há 'troika', há mais liberdade, há mais crescimento económico e eles [o Governo PS] têm um nível de investimento público absolutamente desastrado", disse o presidente do PSD.

 

Logo no início da sua intervenção de cerca de 45 minutos, o líder social-democrata cumprimentou o cabeça de lista do PSD Paulo Rangel e sublinhou que a "tarefa que se costuma dizer difícil das eleições europeias nem é assim tão difícil".

 

"Porque ele tem um adversário relativamente fraco e portanto iremos, no resultado final, perceber exatamente isso", afirmou Rui Rio.

 

Já sobre a lista do PSD, Rui Rio disse que o partido tem de a saber construir "de forma a mostrar o contrário" do PS.

 

"E uma das formas de mostrar o contrário não é apostar em quem já deu provas que não consegue, que é o caso do cabeça-de-lista Pedro Marques, do Partido Socialista, mas apostar em quem tem um futuro à sua frente e a vontade de trabalhar", referiu o líder social-democrata, anunciando, embora sem especificar, que a JSD "estará seguramente bem representada" na lista ao Parlamento Europeu.

 

Em fevereiro, a JSD anunciou ter indicado a Rui Rio o nome de Ana Lídia Pereira, 27 anos, recém-eleita presidente do YEPP, a juventude do Partido Popular Europeu, para integrar a lista de candidatos do partido às eleições europeias.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI