Saúde "2019 será um ano de redução da suborçamentação e de redução do défice do SNS"

"2019 será um ano de redução da suborçamentação e de redução do défice do SNS"

Na sua primeira audição parlamentar desde que assumiu a pasta, Marta Temido admite que a redução do défice do SNS para 90 milhões de euros em 2019 é um "objectivo difícil e exigente".
"2019 será um ano de redução da suborçamentação e de redução do défice do SNS"
Lusa
João D'Espiney 06 de novembro de 2018 às 17:34
Em termos orçamentais, 2019 "será um ano de redução da suborçamentação e de redução do défice do SNS", afirmou a ministra da Saúde, Marta Temido, esta terça-feira, 6 de Novembro, na Assembleia da República.

Na sua primeira audição parlamentar desde que assumiu a pasta, Marta Temido considerou que "são boas notícias" ainda que tenha a preocupação "de quem sabe que, em saúde, os recursos são sempre menores do que as necessidades assistenciais crescentes".

A ministra da Saúde reconheceu que a redução do défice do SNS em 147 milhões de euros em 2019 é um "objectivo difícil e exigente", mas salientou que o défice de 2018 já traduz "uma ligeira melhoria face ao inicialmente previsto". "Resultados que são, sobretudo, fruto do reforço de transferências do OE e do esforço dos profissionais do sector da saúde", acrescentou.

Tal como o Negócios noticiou esta segunda-feira, o Ministério prevê um défice do SNS de 90 milhões de euros em 2019, o que representará uma redução de 62,4% face ao previsto para o final deste ano.

O saldo negativo em 2018 deverá situar-se nos 238 milhões de euros e não nos 252 milhões previstos inicialmente, o que, a concretizar-se, será a primeira vez nesta legislatura que o valor anual final fica melhor do que o estimado aquando da apresentação do orçamento.

Marta Temido afirmou ainda que o orçamento para 2019 "contém o reforço das verbas atribuídas à saúde, mantendo o rumo fixado no início da legislatura de reforço progressivo do financiamento das políticas públicas neste sector".

"A despesa do SNS em 2019 significará 12,1% da despesa primária das Administrações Públicas, e a afectação global dos recursos públicos ganhará peso. Em comparação com o OE 2018, o orçamento do SNS em 2019 beneficiará de um aumento com origem nas transferências do OE de cerca de 600 milhões de euros", disse.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI