Banca & Finanças Cinco bancos multados em mais de mil milhões por cartel para manipular moedas

Cinco bancos multados em mais de mil milhões por cartel para manipular moedas

A União Europeia decretou uma multa de 1,07 mil milhões de euros ao Citigroup, Royal Bank of Scotland, JPMorgan, Barclays e Mitsubishi UFJ Financial.
Cinco bancos multados em mais de mil milhões por cartel para manipular moedas
EPA/Lusa
Nuno Carregueiro 16 de maio de 2019 às 11:15

A investigação das autoridades europeias ao cartel implementado por diversos bancos para manipular taxas de câmbio resultou na aplicação de uma multa de 1,07 mil milhões de euros a cinco instituições, anunciou a Comissão Europeia.


O Citigroup foi alvo da maior multa (310,8 milhões de euros). Royal Bank of Scotland (249,2 milhões de euros), JPMorgan (228,8 milhões de euros), Barclays (210,3 milhões de euros) e Mitsubishi UFJ Financial (70 milhões de euros) são os outros quatro bancos envolvidos.

A investigação apurou que estes bancos participaram em dois cartéis no mercado cambial, envolvendo 11 moedas: euro, libra britânica, iene, franco suíço, dólar dos EUA, dólar do Canadá, dólar da Nova Zelândia, dólar da Austrália, coroa da Dinamarca, coroa da Suécia e coroa da Noruega.

No primeiro cartel, apelidado de "Forex - Three Way Banana Split", foram impostas multas de 811,197 milhões de euros. No segundo, denominado "Forex- Essex Express", as multas totalizaram 257,682 milhões de euros.

O UBS também esteve envolvido nestes esquemas de manipulação de moedas, mas não foi multado por ter sido o primeiro a denunciar o caso às autoridades. Aos restantes cinco bancos foram aplicadas multas mais reduzidas do que o pensado inicialmente, pois as instituições financeiras aceitaram fechar um acordo nestes valores e não recorrer.

O valor total das multas decretadas pela Comissão Europeia é inferior a outro escândalo com epicentro nos mercados financeiros. Há cinco anos, cinco bancos foram multados em 1,3 mil milhões de euros por manipularem as taxas Euribor (mercado interbancário que serve de referência para fixar os juros do crédito à habitação). Como lembra a Bloomberg, a multa aplicada neste caso de manipulação de moedas é bem inferior à multa mais elevada de sempre decretada por Bruxelas. Às empresas envolvidas no cartel dos camiões foi aplicada uma multa recorde de 3,8 mil milhões de euros.

Têm sido vários os escândalos de manipulação do mercado cambial que levaram os reguladores a aplicar multas milionárias aos bancos nos últimos anos. Em 2015 o Departamento de Justiça dos Estados Unidos aplicou coimas de 5,6 mil milhões de dólares a seis bancos mundiais: Citigourp, JPMorgan Chase, Barclays, Royal Bank of Scotland, UBS e Bank of America. Muitos são os mesmos que agora foram multados na Europa.

Segundo a Bloomberg, os casos de manipulação de moedas levaram os reguladores a aplicar multas de 11,8 mil milhões de dólares a 12 instituições financeiras. Estas tiveram também de pagar 2,3 milhões de dólares aos clientes afetados.

"Chatrooms" e viagens de comboio

No comunicado onde anuncia as coimas aos bancos, a Comissão Europeia revela como funcionavam os esquemas que os traders dos bancos envolvidos implementaram entre 2007 e 2013.

A investigação da Comissão revela que alguns traders no mercado forex "trocavam entre si informação sensível, revelando as transações que iam realizar, e ocasionalmente coordenavam as suas estratégias de trading através de vários ‘chatrooms’ profissionais".

Era através destas salas de conversão online que os traders envolvidos nestes dois cartéis obtinham informação relevante que lhes permitia manipular as taxas de câmbio de várias moedas. Sabendo antecipadamente quais seriam os "trades" dos bancos concorrentes, era mais fácil tomar a decisão sobre se seria melhor vender ou comprar as moedas que tinham em carteira.     

Bruxelas detetou também que vários dos operadores envolvidos neste esquema muitas vezes adotavam uma prática conhecida por "standing down", que implicava ficar de fora do mercado para não interferir nas operações dos colegas que estavam dentro do esquema.

As salas de "chat", sobretudo do terminal da Bloomberg, eram o ponto de encontro mais usual para os operadores trocarem informação entre si.

Mas vários dos operadores envolvidos no esquema desenvolveram também uma relação pessoal. Um dos cartéis ganhou o nome de Essex Express porque muitos dos traders viviam em Essex e viajavam juntos de comboio nas deslocações para a City de Londres, onde trabalhavam. A partilha de informação diária começava no comboio e passava pelos "chats", onde os operadores também aproveitavam para conversar sobre os mais variados temas (pessoais e profissionais).  

Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência, refere em comunicado que "o comportamento destes bancos minou a integridade do setor à custa da economia europeia e dos consumidores".

Com a multa hoje aplicada, "deixamos uma clara mensagem que a Comissão não vai tolerar um comportamento concertado em qualquer setor dos mercados financeiros", afirmou a também candidata a presidente da Comissão Europeia, destacando que o forex é um dos maiores mercados do mundo, envolvendo transações de muitos milhares de milhões de euros todos os dias.

 

(notícia atualizada às 12:10 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI