Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EUA imunes aos descontos da Black Friday. Europeus fazem compras de Natal antecipadas

Grandes cadeias americanas como a Target, Kohls, Amazon.com, começaram mesmo a oferecer descontos fora do normal pré Black Friday até 50% para atrair os compradores.

Bárbara Silva barbarasilva@negocios.pt 25 de Novembro de 2022 às 12:19
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...
Os investidores estão a observar atentamente as cotações bolsistas das grandes cadeias de retalho americanos como barómetro da confiança dos consumidores, à medida que a inflação aperta pressiona, tendo em conta que a chamada Black Friday, uma das mais importantes épocas de compras pré-natalícias, se celebra esta sexta-feira.

As ações do grupo de empresas que mais beneficiam com os gastos no retalho, restaurantes e férias, medidas pelo S&P 500, caíram 32% no acumulado do ano, mais do que o dobro no total deste índice (15,5%), já que os consumidores foram atingidos pelo aumento da inflação e pelo aumento das taxas de juros mais rápido desde a década de 1970.

"Essas ações são uma pista de quão rápido a economia está a desacelerar", disse Jim Paulsen, responsável de investimentos do Leuthold Group, citado pela Reuters.

O índice de preços no consumidor nos EUA subiu a um ritmo mais lento do que os economistas esperavam em outubro, com o ritmo anual abaixo dos 8% pela primeira vez em oito meses. A Federação Nacional de Retalho prevê que as vendas até ao final do ano, incluindo o comércio online, aumentarão entre 6% e 8%, abaixo do salto de 13,5% registado em 2021 e dos 9,3% de 2020.

Grandes cadeias como a Target, Kohls, Amazon.com, começaram mesmo a oferecer descontos fora do normal pré- Black Friday até 50% para atrair os compradores. No entanto, de acordo com dados da plataforma DataWeave, os preços de certos produtos subiram mais rápido do que as próprias promoções.

Europeus aproveitam Black Friday para fazer compras de Natal

Já na Europa, as grandes cadeias de retalho esperam que a "Black Friday" leve os consumidores a gastarem mais, embora esta época de compras "ocorra num cenário da pior crise do custo de vida da população e num momento de distração com o Campeonato do Mundo de Futebol", a ser disputado no Catar.

Apesar disso, diz a Reuters, uma tendência a que se assiste são as compras antecipadas, ou seja, fazer as compras de natal na Black Friday, por exemplo. De acordo com um inquérito da GlobalData para VoucherCodes, os britânicos gastarão 10 mil milhões de euros no fim de semana da Black Friday (25 de novembro a 28 de novembro), um aumento de 0,8% em relação ao ano anterior.

A consultora McKinsey diz que um quarto dos consumidores do Reino Unido já fez suas compras de Natal, enquanto cerca de um em cada dez planeia fazer a maior parte das aquisições na Black Friday.

O portal europeu de comparação de preços Idealo disse que 65% dos compradores online italianos estão prontos para comprar vários produtos durante o evento, enquanto em França, 70% planeiam fazer compras na Black Friday e na Cyber Monday, segundo pesquisa da PwC France.

No entanto, os espanhóis estão menos interessados, com apenas 24% dos compradores a aproveitar as ofertas da Black Friday para antecipar suas compras de Natal, de acordo com a Associação Espanhola de Empresas de Bens de Consumo.
Ver comentários
Saber mais Black Friday EUA Reuters consumo
Outras Notícias