Desporto Rosa Mota "enganada" por autarquia do Porto não vai a reabertura de pavilhão

Rosa Mota "enganada" por autarquia do Porto não vai a reabertura de pavilhão

Pavilhão Rosa Mota vai passar a chamar-se Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota. Autarquia diz que atleta medalhada sabia da mudança e tinha-se "congratulado".
Rosa Mota "enganada" por autarquia do Porto não vai a reabertura de pavilhão
Sábado 28 de outubro de 2019 às 12:00

Rosa Mota não estará presente na cerimónia de reabertura do pavilhão no Porto com o seu nome. Isto devido à nova designação do espaço: Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota. A marca de cervejas patrocinou as obras do espaço, que antes só tinha o nome da atleta que venceu a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1988.

Numa carta enviada à Câmara Municipal do Porto a que a rádio TSF teve acesso, Rosa Mota demonstra o seu desagrado: "Quando recebi o convite do senhor presidente da Câmara para a reabertura do Pavilhão, e no qual está escrito 'Super Bock Arena Pavilhão Rosa Mota' senti-me definitiva e claramente enganada".

Segundo a mesma fonte, Rosa Mota pensava que o nome do espaço seria Pavilhão Rosa Mota – Super Bock Arena. "Comunico a todos os vereadores, em primeira mão, que não dou a minha anuência a algo que parece estar definitivamente estabelecido e que não foi o que foi acordado", lê-se na missiva.

A Câmara Municipal do Porto reagiu em comunicado, frisando que o nome de Rosa Mota vai surgir pela primeira vez acima da entrada principal do pavilhão e lá dentro.

"O investimento foi totalmente suportado por privados (...) que encontraram a forma de financiamento adequada. Pediram, esses mesmos privados, para mudar o nome ao equipamento (...). Nesse processo, ficou assegurado que ninguém poderia retirar o nome da atleta da designação formal, mas que também no uso comercial o seu nome teria sempre que estar presente. Estes dados foram fornecidos à atleta, que com eles concordou e se congratulou há mais de um ano", relata a autarquia. A câmara chefiada por Rui Moreira diz ainda não compreender "que alguém se possa considerar mais respeitado dando nome a um edifício em pré-ruína e sem uso, do que num moderno centro de congressos onde a sua designação está claramente inscrita", cita a TSF.

Marcelo Rebelo de Sousa não estará presente na reabertura. Segundo a Presidência, será sujeito a exames médicos.




Marketing Automation certified by E-GOI