Empresas Governo vai exigir que CTT voltem a ter uma estação por concelho

Governo vai exigir que CTT voltem a ter uma estação por concelho

Pedro Nuno Santos garantiu no Parlamento que no quadro da renegociação do contrato de concessão com a empresa é para o Executivo “ponto de honra” a abertura de uma estação dos correios em todos os concelhos.
Governo vai exigir que CTT voltem a ter uma estação por concelho
Ricardo Jr/Cofina
Maria João Babo 30 de abril de 2019 às 15:58

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, garantiu esta terça-feira no Parlamento que na negociação do contrato de concessão dos CTT que terá de ser feita até final de 2020 é para o Governo "ponto de honra que todos os municípios que perderam estação dos correios passem a ter novamente estação".

Pedro Nuno Santos salientou que os CTT são hoje uma "empresa privatizada, numa privatização mal feita, que não acautelou o interesse nacional", mas que isso "não pode significar que o Estado não tenha uma relação firme com a empresa que foi privatizada".

Para o ministro, o contrato de concessão assinado "foi prejudicial, mas não permitiremos que a renegociação do contrato não passe pela abertura de uma estação dos correios em todos os concelhos do território nacional".

"Não podemos aceitar que ao abrigo de qualquer contrato, não se possam corrigir" e que "os sítios onde fecharam possam abrir".

Em 2018 houve 33 concelhos que ficaram sem estações de correios, revelou em janeiro deste ano o presidente da Anacom, João Cadete de Matos, que salientou que a curto prazo é expectável que a empresa encerre mais 15 estações, elevando, assim, para 48 os municípios sem balcões próprios.
 

Pedro Nuno Santos garantiu que os 33 postos que fecharam vão ter que abrir, além de que não serão encerrados mais postos.

"Temos a garantia da administração que não vão encerrar mais nenhum. Apesar do número 48 que anda aí, a garantia que nos foi dada é que não encerra mais nenhum", afirmou, acrescentando que também "aquelas 33 vão ter abrir".

Em janeiro, João Cadete de Matos disse ainda que para garantir a qualidade do serviço, os CTT iam ser obrigados pela Anacom a ter pelo menos um posto com oferta equivalente a uma estação em cada concelho.

(Notícia atualizada às 17:10 com mais declarações)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI