Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Montepio “afunda” La Gondola na Avenida de Berna

O edifício que acolhe o emblemático restaurante desde 1943, com encerramento marcado para 6 de Agosto, vai ser demolido para aí ser construída a nova sede do Montepio. Uma operação que resulta de uma permuta de terrenos entre a Câmara de Lisboa e a instituição financeira.

O restaurante La Gondola fecha a 6 de Agosto. Vai ser demolido para dar lugar à nova sede do Montepio.
Rui Neves ruineves@negocios.pt 29 de Julho de 2017 às 15:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • 18
  • ...

 

Construído por júlio Salustiano Rodrigues, em 1928, tendo sido propriedade do médico e arqueólogo Fernando António de Almeida e Silva Saldanha, desde 1939 que a sombra da demolição pairava sobre o edifício que alberga o restaurante La Gondola, na Avenida de Berna, junto à Praça de Espanha, em Lisboa.

 

Naquele ano, enquanto no miolo da Europa tinha início a II Guerra Mundial, a Câmara da capital portuguesa decidiu adquirir aquele imóvel, como alternativa à expropriação, com vista à sua demolição, no âmbito da execução de um plano urbanístico para a zona da Praça de Espanha.

 

Mas o plano de reformulação urbanística daquela área nunca avançou. Resultado: em vez de ser demolido, o edifício foi arrendado para a instalação de um restaurante, o La Gondola, que aí funciona desde 1943.

 

6 de Agosto de 2017: um ano antes de poder comemorar as bodas de diamante, o La Gondola está em contagem decrescente para os seus últimos oito dias de existência. É que, para avançar com a renovação urbanística da zona, a autarquia lisboeta fez uma permuta de terrenos com o Montepio Geral, que vai demolir o restaurante para aí construir a sua nova sede.

 

O projecto para a demolição decorre assim desta permuta entre as duas entidades, aprovada em Dezembro de 2014 pela Câmara de Lisboa, com o Montepio e a sua seguradora Lusitânia a ficarem com terrenos de mais de 6,2 mil metros quadrados, incluindo o espaço em que está implantado o imóvel que alberga o La Gondola, para aí construírem novos edifícios.

 

Em troca, a autarquia ficou com os terrenos onde funcionou, até Setembro de 2015, o Mercado da Praça de Espanha.

 

"Não é vontade nossa, gostaríamos de ficar. Estamos aqui há décadas, é um espaço irrepetível. Resistimos o que pudemos e soubemos, mas não temos força nem capacidade de argumentar com a força da Câmara e do Montepio", lamentou Júlia Ribeiro, gerente do La Gondola, em declarações ao Diário de Notícias. "Saímos com mágoa, mas temos o compromisso de fechar", rematou a gestora do restaurante.

 

Entretanto, uma petição lançada pelo auto-denominado movimento "Vizinhos das Avenidas Novas", que conta já com mais de 800 assinaturas, defende que a demolição do La Gondola "não seja autorizada até que seja avaliada a sua classificação como Imóvel de Interesse Municipal" e "a sua candidatura ao ‘Programa Lojas com História’".

 

Intitulada "Contra a demolição do edifício restaurante Gondola e salvar a identidade das Avenidas Novas", a petição considera que este imóvel "tem hoje um valor adicional de memória urbana, cujo apagamento não devia passar sem discussão e análise técnica e de relevância para a freguesia de Avenidas Novas, uma vez que é contemporânea dos inícios dos planos de urbanização da área".

Ver comentários
Saber mais La Gondola restaurante Montepio Lusitânia permuta Avenida de Berna Câmara de Lisboa Vinhos das Avenidas Novas petição
Outras Notícias