Construção Produção na construção em Portugal subiu no arranque de 2018 em contraciclo com Zona Euro

Produção na construção em Portugal subiu no arranque de 2018 em contraciclo com Zona Euro

Os dados do Eurostat indicam que a produção na construção em Portugal avançou 2,2% em Janeiro comparando com o mês anterior. Já no caso da Zona Euro verificou-se a tendência oposta: recuou 2,2%.
Produção na construção em Portugal subiu no arranque de 2018 em contraciclo com Zona Euro
Reuters
Ana Laranjeiro 19 de março de 2018 às 10:46

A construção em Portugal deu sinais de dinamismo no arranque deste ano. A produção na construção avançou 2,2% em Janeiro face ao mês anterior, de acordo com os dados apresentados esta segunda-feira, 19 de Março, pelo Eurostat.

Ainda assim, este valor representa uma ligeira desaceleração, já que em Dezembro do ano passado este indicador cresceu 2,3%.

A produção na construção em Portugal está assim em contraciclo com a evolução registada na Zona Euro e na União Europeia. Nos países da união monetária, este indicador decresceu 2,2% em Janeiro face a Dezembro, tendo sido penalizado sobretudo pela queda da construção de edifícios.

Já na União Europeia a produção neste sector decresceu 2,1%, penalizado igualmente pela diminuição da construção de edifícios. França, Suécia e Reino Unidos foram os países que registaram as maiores quedas.

Ainda assim, os indicadores são mais positivos se olharmos para a comparação homóloga. É que a produção na construção avançou 3,7% na Zona Euro e 2,5% na União Europeia em Janeiro deste ano quando comparado com o primeiro mês do ano passado.

Para esta evolução foi determinante a subida da engenharia civil. Eslovénia, Hungria e República Checa foram os países com os maiores aumentos. Pelo contrário, Espanha e Reino Unido protagonizaram as maiores quedas.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub