Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

"O sonho de qualquer tecnológica é fazer um IPO"

André Parreira, CEO da IBT, acredita que o "software" "Realtime" vai acelerar a expansão da empresa nos EUA, Brasil e Reino Unido.

Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 18 de Setembro de 2012 às 10:00
  • Partilhar artigo
  • 3
  • ...
Quando fundou a IBT, em 1997, sabia que queria mudar o mundo. Mas nessa altura, André Parreira tinha apenas 18 anos e isso poderia não passar de um sonho. Hoje, o empreendedor está convicto de que a tecnologia que está a desenvolver em Portugal pode mesmo fazer a diferença. Vendeu a sua bicicleta para constituir a empresa e admite que o "sonho é fazer um IPO (Oferta Pública Inicial)" e colocar a IBT na Bolsa.

Desde que se lembra que defende que a Internet vai ser o futuro. Hoje parece evidente, mas na época nem tanto. André Parreira começou por desenvolver "sites" quando ainda a maioria das empresas não tinha acesso à Internet. Sofreu com o rebentar da "bolha" das tecnológicas e foi obrigado a despedir. "Fomos da glória à desgraça de um dia para o outro, na altura da bolha, e de 50 pessoas passámos a 8, antes do ‘Realtime’, teve que ser, não havia negócio", recordou André Parreira, CEO da IBT, em entrevista ao Negócios. Passados 15 anos, o gestor quer tornar a Internet "viva" e colocar a IBT na história.

A proliferação das redes sociais voltou a colocar a portuguesa IBT na crista da onda. "Tinha que haver uma forma da Internet ser realmente interactiva. Porque é que eu tenho que clicar e fazer ‘refresh’ para actualizar a página. Isto, sem alterar a forma como as pessoas fazem o ‘site’", contou André Parreira. O responsável recordou que a base do "Realtime" já existia, mas não de uma forma tão intuitiva e integrada como a IBT propõe ao mercado.

O "software" "Realtime" permite introduzir novas funcionalidades nos "sites", novas formas de explorar a publicidade on-line e de contabilizar os utilizadores de forma diferente. Esta aposta da IBT não só potenciou a internacionalização da empresa, como a abriu aos novos investidores.

Primeiro foi o grupo Ongoing que investiu na tecnológica, que agora já faz parte da "holding" BZRtech. "O ‘Realtime’ foi feito porque eu queria internacionalizar a empresa, se não tivéssemos encontrado investidores, iria fazer-se de outra maneira", admitiu André Parreira. O empresário tornou-se accionista da BZRtech, onde também investiram fundos europeus e sul-americanos.

A IBT arrancou para o Brasil, para os EUA e este ano entrou no Reino Unido. "Estamos a criar as fundações para a Internet do futuro, a Internet 3.0, somos as telcos do futuro que gerem o ‘Realtime Messaging’", afirmou o mesmo responsável. Em 2013, a IBT espera estar a facturar 39 milhões de euros, mas ainda espera lançar novos produtos este ano.

"Dorme-se muito pouco nesta empresa e eu acho que durmo acordado, mas a alegria vem por se estar motivado", remata André Parreira.

Ver comentários
Saber mais IBT André Parreira
Outras Notícias