Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vodafone não tem "nenhuma razão" de preocupação com rede da Huawei

O presidente executivo da Vodafone Portugal, Mário Vaz, assegura que a operadora não tem razões de preocupação com a segurança da rede da Huawei, nem com a de outros fornecedores.

'Nos últimos 15 anos, o mundo mudou e os principais acontecimentos que ficarão para a História foram acompanhados e comentados pelo Jornal de Negócios, um projeto em que o rigor, a seriedade e a independência são a sua imagem de marca. Neste dia especial, eu e a Vodafone Portugal damos os parabéns a toda a equipa do Jornal de Negócios e desejamos que continuem a fazer jornalismo de qualidade, contribuindo para uma sociedade mais bem informada e para um futuro incrível.'
Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 12 de Dezembro de 2018 às 18:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O presidente executivo da Vodafone Portugal, Mário Vaz, garante que a operadora não tem "nenhuma razão" de preocupação quanto à "segurança da rede da Huawei ou de outro fornecedor". "Sempre tivemos preocupação com a temática da segurança", sublinhou o responsável, à margem de uma conferência sobre o 5G, acrescentando que caso "houvesse a mínima prova" de alguma rede não ser segura iriam agir de acordo com a situação. 

 

No caso da Vodafone, o principal parceiro para o desenvolvimento do 5G é a Ericsson. Mas também trabalham com a Huawei enquanto fornecedor. Questionado sobre as notícias que têm dado conta da desconfiança das redes da Huawei e de outras empresas chinesas do sector devido aos alegados riscos que podem colocar em termos de segurança, Mário Vaz preferiu não tecer mais comentários sobre "uma temática" que considera resultar de "uma guerra comercial".

 

Os alertas sobre os riscos de entregar a rede 5G a empresas chinesas começaram a ser feitos pelos Estados Unidos. Mas já atravessaram o oceano, com Bruxelas a manifestar preocupação sobre eventuais riscos de espionagem ou ciberataques, devido a estas empresas chinesas poderem vir a ser forçadas a fornecer informações aos serviços secretos do país, como referiu recentemente Andrus Ansip, comissário europeu para o Mercado Único Digital.

 

Mário Vaz concorda com a parte de esta temática da preocupação com a segurança ganhar "mais relevância" à medida que o 5G se aproxima"cada vez mais". Isto porque com a rede de nova geração "vão correr muitos mais dados". Mas voltou a sublinhar que não têm nenhuma razão de preocupação.

 

Quanto ao investimento no 5G, destacou que tem sido uma das principais apostas da operadora que começou a realizar os primeiros testes no ano passado. Esta quarta-feira, 12 de Dezembro, deu mais um passo ao apresentar, pela primeira vez em Portugal, o protótipo de um smartphone 5G ligado a uma rede pré-comercial da Ericsson.

 

Questionado sobre quando será possível ter o 5G na generalidade dos smartphones, o CEO da Vodafone Portugal respondeu: "Uma coisa é certa, vamos ter 5G, E estamos a desenvolver toda a tecnologia necessária para quando chegar o momento, quer do pondo de vista de necessidade quer regulatório, possamos implementá-la".

 

Mário Vaz relembrou ainda que o calendário da implementação do 5G não depende apenas das operadoras, mas sim dos reguladores que terão que adaptar as directrizes europeias que prevêem que a implementação do 5G seja uma realidade em 2020. Mas considera que o calendário para Portugal é ajustado e  "tudo é conciliável". 

 

"Há muito tempo que nos estamos a preparar para o 5G.  Nos últimos anos investimos mais de mil milhões de euros na modernização da nossa rede", sustentou.

Ver comentários
Saber mais Vodafone Portugal Mário Vaz Huawei Ericsson Andrus Ansip Mercado Único Digital
Mais lidas
Outras Notícias