Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Combustíveis vão cair 1 cêntimo após dez semanas seguidas a subir

Os preços do gasóleo e da gasolina vão interromper um ciclo de dez semanas consecutivas a valorizar e têm margem para cair cerca de 1 cêntimo.

Bloomberg
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 17 de Julho de 2020 às 14:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
Os preços dos combustíveis vão sofrer uma redução a partir da próxima segunda-feira, dia 20 de julho, colocando um ponto final numa série de dez valorizações semanais consecutivas, em linha com o cenário registado nos preços do petróleo nesta semana.

De acordo com os cálculos do Negócios, há margem para uma redução de 1 cêntimo no preço do gasóleo simples para os 1,2304 euros por litro, depois de ter registado o preço mais elevado desde meados de abril, no início desta semana.

No caso da gasolina simples 95, o aumento estimado será de igual dimensão e cada litro deste ativo vai passar a custar 1,3938 euros a partir da próxima semana.  



Verifica-se assim um regresso às quedas, que já não se registavam desde maio - quando o preço dos futuros do crude norte-americano negociou em valores negativos, pela primeira vez na história. 

No acumular do ano, o preço do gasóleo regista uma queda de 12%, enquanto que a gasolina uma redução de 7%. Contudo, desde os mínimos de abril, ambos os ativos acumulam ganhos de 10 e 15 cêntimos por litro, respetivamente. 

A queda dos combustíveis cotados, que influencia o valor que os portugueses pagam nos postos de abastecimento, acontece numa altura em que o petróleo está a perder força, após a reunião da OPEP + (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e os aliados) nesta semana.

Os membros do cartel decidiram reduzir os cortes de produção de petróleo a partir de agosto, em cerca de 2 milhões de barris por dia.

Apesar de a evolução dos preços dos combustíveis ser calculada tendo por base a evolução destes dois derivados do petróleo (gasóleo e gasolina) e do euro, o custo dos combustíveis na bomba dependerá sempre de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

Estes preços têm em conta as variações calculadas pelo Negócios face ao preço médio praticado em Portugal esta semana e anunciado pela Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Os cálculos do Negócios têm por base contratos diferentes dos seguidos pelas petrolíferas (ainda que a evolução costume ser semelhante), sendo que os dados disponíveis para o Negócios só estão disponíveis até quinta-feira (faltando um dia de negociação).
Ver comentários
Saber mais Negócios economia negócios e finanças energia macroeconomia preços
Mais lidas
Outras Notícias