Sonae investe 255 milhões para reforçar na Sonae Sierra

A empresa portuguesa passa a deter 70% do capital da companhia de centros comerciais e a parceira Grosvenor reduz para 30%.
Jornal de Negócios
pub
Nuno Carregueiro 14 de julho de 2018 às 10:14

A Sonae SGPS anunciou este sábado, 14 de Julho, que reforçou a posição na Sonae Sierra para 70% depois de comprar à Grosvenor uma participação de 20% por 255 milhões de euros.

Fica assim desfeita a parceria 50/50 que foi fechada em 2005, ano em que a Sonae tinha vendido 17% da Sonae Sierra à Grovesnor, ficando desde então a dividir o capital da empresa com a companhia britânica.


Há 13 anos esses 17% foram vendidos por 218 milhões de euros, um valor muito semelhante ao custo actual para comprar 20% e que avalia a Sonae Sierra em 1.275 milhões de euros.


"Para além de permitir à Sonae reforçar a sua posição e influência numa empresa líder no seu sector, esta operação aumenta o perfil internacional do grupo", refere a Sonae em comunicado, destacando que "a Grosvenor continuará a ser o parceiro estratégico da Sonae na Sonae Sierra".


Contudo, a parceria não será nos moldes do registado nos últimos anos, pois a Sonae assegura uma posição maioritária e ficaram desde já "assegurados os direitos de saída adequados à sua futura condição de accionista minoritário" da Grosvenor.

pub


Para comprar os restantes 30% tendo em conta os valores do actual negócio, a Sonae terá que pagar 382,5 milhões de euros.


A firma britânica de imobiliário é accionista da Sonae Sierra desde 1996, altura em que a empresa tinha ainda a denominação de Sonae Imobiliária. Foi em 2011 que ambos os accionistas lançaram uma OPA para retirar a Sonae Imbiliária de Bolsa, tendo passdo alguns anos firmado a parceria 50/50 que agora é desfeita.


No comunicado a Sonae Sierra revela que "gere e co-controla 46 centros comerciais na Europa e na América do Sul, com 1,9 milhões de m2 de Área Bruta Locável (ABL) e um valor de mercado de 7 mil milhões de euros", estando presente em 12 países.
(valor da transacção corrigido para 255 milhões de euros)

pub