Imobiliário Portugal: O "novo grande projecto" de Berda, um milionário francês

Portugal: O "novo grande projecto" de Berda, um milionário francês

O país que diz conhecer bem e onde até vendeu t-shirts há 20 anos pode vir a ser a próxima casa de Claude Berda. O milionário francês já comprou mais de uma dezena de propriedades e promete continuar. Com o apoio da banca.
Portugal: O "novo grande projecto" de Berda, um milionário francês
DR/Groupe AB
Negócios com Bloomberg 28 de abril de 2017 às 12:01

Foi há dois anos que o filho do milionário francês Claude Berda lhe pediu para visitar Portugal. Desde então – e numa altura em que a economia nacional começa a dar sinais de crescimento – as agulhas do antigo dono do grupo de média AB Groupe viraram-se para o rectângulo à beira-Atlântico plantado.

Já comprou aqui mais de uma dezena de propriedades – conta a Bloomberg – e espera investir 450 milhões de euros no seu desenvolvimento e em novas aquisições, antes de as colocar de novo no mercado. Agora, procura bancos que o acompanhem na aventura por terras lusas.

"Portugal é, definitivamente, o meu próximo grande projecto," disse em entrevista à Bloomberg, em que dá conta também da dificuldade em comprar por cá: "O mercado é muito bom e está muito forte", afirma.

Na carteira de Berda estão já dez prédios em Lisboa, um "resort" no Algarve – vai construir o White Shell Beach Resort, num terreno comprado ao Banif, que terá 55 apartamentos no litoral do concelho de Lagoa, segundo o Sul Informação - e 350 hectares de terreno na Comporta, zona que foi a joia da coroa do grupo Espírito Santo.

Os 450 milhões de euros agora falados são já um "upgrade" em relação aos 300 milhões de que, no início do mês, o Expresso dava conta de poderem ser investidos em Portugal. Na altura, a empresa dizia ter 100 milhões em carteira e procurar mais 200 milhões junto da banca, nomeadamente Montepio e BPI.

A primeira pegada do empresário foi dada na capital, com a compra de um terreno no bairro da Graça – pertencia à empresa pública EPUL e vai ver nascer um prédio -, através da Vanguard Properties, representado por José Cardoso Botelho, contava o semanário.

Grande parte das propriedades adquiridas pertenciam anteriormente à empresa pública Estamo – como um edifício na Rua Castilho destinado a serviços do Ministério da Agricultura -, e ao Banif, acrescentava o semanário. As localizações em Lisboa incluem ainda prédios nas Amoreiras e na Lapa.

Berda considera que Lisboa ainda é um local relativamente barato para viver e comprar casa, comparativamente com outros destinos europeus. "Era preciso que me pagassem para viver em Londres," refere. E, tão bem diz conhecer os portugueses, que pondera mudar-se para cá , depois de ter vendido t-shirts em Portugal há mais de duas décadas, quando tinha um negócio na área têxtil.

A Bloomberg refere que o programa de Vistos Gold – autorização de residência em troca de investimentos superiores a 500 mil euros - tem contribuído para aumentar a atractividade do mercado imobiliário nacional. E cita dados da Cushman&Wakefield para estimar que o investimento neste sector aumente para os 2.000 milhões de euros em 2017, um aumento de mais de 15%.

Em 2016, o site francês Challenges colocava a fortuna de Claude Berda, 70 anos, avaliada em 1.000 milhões de euros, como a 71.ª maior de França, entre os donos do grupo de retalho Decathlon e da firma de logística Trafigura. Berda tinha 53% do Groupe AB, um dos últimos grupos independentes dos media em França.

A posição foi vendida no âmbito da oferta de 270 milhões de euros feita pela Mediawan, que pretende construir um grupo que faça frente ao de Patrick Drahi (SFR), o dono da portuguesa Meo.




pub