Imobiliário Preços do imobiliário no mercado residencial caminham para "estabilização e consolidação"

Preços do imobiliário no mercado residencial caminham para "estabilização e consolidação"

Os preços no mercado imobiliário residencial português deverão iniciar este ano um "caminho para a estabilização e consolidação dos preços", estima a consultora Savills Portugal.
Preços do imobiliário no mercado residencial caminham para "estabilização e consolidação"
Negócios 27 de maio de 2019 às 18:27
Os preços no mercado imobiliário residencial português deverão iniciar este ano um "caminho para a estabilização e consolidação dos preços", estima a consultora Savills Portugal numa nota enviada à comunicação social esta segunda-feira.

De acordo com Alexandra Gomes, analista sénior no departamento de "research" da Savills Portugal, "a reabilitação urbana exerce um peso bastante significativo, bem como a compra para colocação no mercado de arrendamento turístico, que têm sido sem dúvida, os dois fatores mais dinamizadores do mercado residencial".

Já a compra e venda de casas para habitação própria direcionada para os compradores nacionais mantém-se "em níveis modestos", espelhando a "desadequação da oferta atual ao perfil da procura". "A escassez de construção nova pensada de raiz para as famílias portuguesas de rendimento médio é um dos principais desafios que o mercado de promoção residencial enfrenta atualmente", acrescenta a responsável.

Para este ano, Alexandra Gomes considera que "o mercado residencial deverá iniciar um caminho de maior estabilização e consolidação dos preços, mais direcionado para o segmento de imóveis residenciais usados". "A promoção de projetos direcionados para o segmento prime manter-se-á em alta, não sendo ainda expectável um ajustamento de preços visível e que produza efeitos na dinâmica do mercado residencial", indica a analista.

 

A Savills destaca que "o reavivar do mercado de arrendamento (...) reflete a atual incapacidade financeira das famílias portuguesas conseguirem adquirir casas aos preços de mercado praticados atualmente. O regime de arrendamento continuará, em 2019, a ser uma das opções para uma percentagem muito significativa da população residente em Portugal".

Os projetos previstos para a cidade de Lisboa que se encontram em fase de desenvolvimento representam "mais de 2.000 novos fogos de habitação, ainda assim insuficientes para colmatar a procura existente, e na sua grande maioria dirigidos a uma gama média-alta e alta", sublinha Alexandra Gomes.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI