Indústria Alemã KAP funde OMT com MEP e escolhe CEO da escola Sonae

Alemã KAP funde OMT com MEP e escolhe CEO da escola Sonae

O grupo alemão KAP decidiu unir as operações da Olbo & Mehler (OMT) e da Mehler Engineered Products (MEP), que têm fábricas em seis países de três continentes, e nomeou o português Alberto Tavares, actual CEO da OMT, como presidente executivo da nova unidade.
Alemã KAP funde OMT com MEP e escolhe CEO da escola Sonae
Alberto Tavares foi escolhido pelo grupo alemão KAP para CEO da recém-criada unidade que resultou da junção das actividades e operações globais da OMT e da MEP.
Rui Neves 12 de outubro de 2018 às 14:37

Alberto Tavares, 50 anos, um economista que esteve 22 anos na Sonae Indústria e que lidera a Olbo & Mehler (OMT), empresa de têxteis técnicos do grupo alemão KAP, com fábricas em Portugal e na República Checa, foi escolhido pela casa-mãe para CEO da recém-criada unidade que resulta da junção das actividades e operações globais da OMT e da Mehler Engineered Products (MEP).

 

"As duas empresas, conhecidas no mercado como fabricantes de tecidos técnicos e fios técnicos para fins industriais, constituirão o segmento de produtos de engenharia como parte da nova estratégia do grupo KAP", anunciou a subsidiária portuguesa, instalada em Famalicão, em comunicado.

 

"Alberto Tavares desempenhará as funções de CEO deste novo segmento unificado Engineered Products", confirmou o grupo.

 

Além das unidades industriais de Portugal e da República Checa, a nova unidade da KAP agregará ainda as fábricas situadas nos Estados Unidos, Alemanha, China e Índia, representando uma facturação que atingiu os 165 milhões de euros no ano passado.

 

"Estamos muito entusiasmados com essa tremenda oportunidade. Acreditamos que a gestão de ambas as empresas sob o mesmo segmento irá estabelecer novos parâmetros em relação à experiência do cliente, inovação, crescimento, eficiência e competitividade", afirmou Alberto Tavares.

 

Com estas alterações, o grupo alemão KAP salienta que "passará a actuar como um grupo industrial especializado com foco em nichos de mercado com potencial de crescimento sustentável, através de cinco segmentos: ‘engineered products’, ‘flexible films’, ‘precision components’, ‘surface technologies’, IT e ‘services’".

Alberto Tavares defendeu que "agrupar várias empresas que actuam nos mesmos mercados num único segmento, sob uma única gestão, permite criar uma unidade mais competitiva e permite uma abordagem coordenada".

 

Fundada nos anos 30 do século passado pelo senhor Mehler, a germânica OMT entrou em Portugal, num investimento de 30 milhões de euros, com a instalação de uma fábrica, em 1996, em Segures, lugar da freguesia de Landim, concelho de Famalicão. A fábrica foi baptizada como Segures.

 

Na altura, atraído sobretudo pelo "know how" têxtil no Vale do Ave e do Cávado e pelos incentivos comunitários ao investimento, o grupo transferiu da Alemanha para Famalicão a sua produção de tecidos para as correias de transporte usadas na indústria mineira.

 

Em Setembro de 2014, quando chegou à presidência executiva da empresa, substituindo um alemão no cargo, a primeira decisão de Alberto Tavares foi uniformizar o nome da própria empresa que, na viragem para o ano de 2015, passou a chamar-se Olbo & Mehler.

 

Actualmente, a Olbo & Mehler de Famalicão, que emprega 300 pessoas e facturou 41 milhões de euros no ano passado, tudo para exportação, produz uma vasta paleta de têxteis técnicos para a indústria automóvel, farmacêutica e petrolífera, entre outros.

 

Dos produtos fabricados em Segures, contam-se tecidos para correias de distribuição, interiores de corrimões de escadas rolantes, telas para asfalto nas estradas, telas para transporte de minério, sistemas de airbag, borrachas de silicone para frascos de insulina, tecidos para o revestimento dos coletes à prova de bala, assim como um têxtil fabricado à base de basalto resistente a altas temperaturas (700º centígrados) e que até valeu um prémio à empresa.




pub