Tecnologias Luís Paulo Salvado: "Há uma competição pelo mesmo talento" com Google e Amazon

Luís Paulo Salvado: "Há uma competição pelo mesmo talento" com Google e Amazon

A pressão salarial está a ser maior com a vinda da Google e Amazon para Portugal, afirma Luís Paulo Salvado, presidente da Novabase.
A carregar o vídeo ...
A entrada da Google e Amazon em Portugal está já a ter um efeito: há uma maior pressão salarial nas áreas ligadas às tecnologias, até porque aumenta a concorrência pelo mesmo talento.

Quem o afirma é Luís Paulo Salvado, presidente da Novabase, em entrevista ao Negócios e Antena 1, que assume ser difícil responder pelo valor. "Temos de ter uma proposta de valor que no global seja interessante", declara.

Numa coisa o responsável da Novabase acredita: Portugal tem mão-de-obra qualificada de nível mundial. E é valorizada por esses investidores estrangeiros.

A entrevista vai ser transmitida na Antena 1 este domingo e pode ser lida no Negócios (edição de segunda-feira).



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 04.03.2018

Portugal continua a ser o cúmulo do provincianismo. Até parece que a Google e a Amazon passaram a ser empresas fundadas, sediadas e maioritariamente detidas por portugueses residentes em Portugal.

comentários mais recentes
Alentejano 05.03.2018

isto faz-me pensar se foi a manutenção do sistema de baixos salários e erradicação do mérito que criou os gestores burros que ainda existem em portugal ou foram os gestores burros que corromperam isto para manter os baixos salários e a incompetência deles não se tornar clara como a agua ?

pertinaz 04.03.2018

DEVE SER VERDADE...

General Ciresp 04.03.2018

Nos se recuarmos30 ou ate mesmo 40 atraz vamos ver q um bancario nessa altura era uma pessoa intocavel,ele hoje vale menos q um pechileiro.Nos estamos a passar um momento paSsageiro,eu diria mesmo q o momento e CAMAFOLADO,aprendamos a olhar com olhos de VER e nao com olhos de OUVIR.

Anónimo 04.03.2018

Graças ao investimento estrangeiro, os profissionais de IT ganham finalmente o que merecem. Porque se continuassemos a depender das empresas portuguesas, como a mencionada, manteria-se o mesmo paradigma, vencimentos mediocres em prol de faturações record para os cofres das empresas e seus gestores.

ver mais comentários
pub