Tecnologias Projecto de investimento em microbiologia sintética vai criar 60 empregos para investigadores

Projecto de investimento em microbiologia sintética vai criar 60 empregos para investigadores

O Governo aprovou o contrato de investimento, no valor global de aproximadamente 50 milhões de dólares (cerca de 43,2 milhões de euros ao câmbio actual), para um projecto de investigação nas áreas de microbiologia genética e engenharia metabólica a celebrar entre a Amyris Bio Products, a Universidade Católica e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).
Projecto de investimento em microbiologia sintética vai criar 60 empregos para investigadores
Correio da Manhã
Negócios 22 de junho de 2018 às 10:37

O Governo aprovou o contrato de investimento, no valor global de aproximadamente 50 milhões de dólares (cerca de 43,2 milhões de euros ao câmbio actual), para um projecto de investigação nas áreas de microbiologia genética e engenharia metabólica a celebrar entre a Amyris Bio Products, a Universidade Católica e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

O acordo para o projecto de investigação, designado Alchemy, havia sido assinado a 13 de Junho em Sillicon Valley, nos EUA, com a presença do primeiro-ministro, António Costa.

O projecto tem por objectivo "visa a realização de investigação e desenvolvimento tendo em vista a valorização económica dos resíduos dos processos fermentativos, a manipulação do ADN de organismos e estirpes para aumentar a eficiência da produção de biomoléculas, a criação de uma nova geração de ferramentas de 'design' de ADN e uma abordagem científica inovadora para acelerar a descoberta de aplicações disruptivas de novas biomoléculas", pode ler-se no despacho do Governo publicado esta sexta-feira em Diário da República.

O Governo considera que este projecto "contribui de forma significativa para a economia nacional por representar um investimento de grande dimensão em investigação e desenvolvimento, focado nas áreas de microbiologia genética e engenharia metabólica e situado na linha da frente da bioinformática".

Segundo o Executivo, existe a expectativa de que "os resultados da investigação na área da valorização dos resíduos dos processos fermentativos possam ser extensíveis a outras indústrias, como a cervejeira ou a panificação".

O impacto económico também é destacado no despacho, referindo-se que o projecto poderá gerar um volume de exportações relevante, estimando que "logo nos primeiros anos seguintes ao termo da execução do projecto, as exportações anuais atinjam valores na ordem dos 3 a 6 milhões de euros".

O Governo refere ainda "a criação directa de 60 postos de trabalho para investigadores" e prevê que exista também "um impacto muito significativo na criação indirecta de emprego relacionada não só com os efeitos económicos em cadeia mas sobretudo com a manutenção, o suporte e a continuação do desenvolvimento plataforma de 'software' para o desenho e concepção de ADN".

O Executivo irá apoiar o projecto com a concessão de incentivos financeiros previstos para os grandes projectos de investimento. O despacho, assinado pelo ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e pelo secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, data de 8 de Junho.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI