Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

ANA Aeroportos pede rapidez na escolha do novo sistema de controlo aéreo

O Governo e a NAV estão a analisar qual será o futuro sistema de controlo de tráfego aéreo. A escolha derrapou para o final de 2017. O presidente da ANA, Jorge Ponte de Leão, pede rapidez e classifica como “estéril” toda a discussão à volta do novo terminal do Montijo.

Wilson Ledo wilsonledo@negocios.pt 18 de Julho de 2017 às 18:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O presidente da ANA Aeroportos, Jorge Ponce de Leão, apelou esta terça-feira, 18 de Julho, para que a escolha do novo sistema de controlo de tráfego aéreo seja escolhido o mais rapidamente possível.

"Adjudiquem o novo sistema, ponham-no a funcionar", pediu durante uma conferência na Assembleia da República, considerando esta como uma das principais barreiras para o crescimento do número de passageiros no Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa.


Como escreveu o Negócios, a escolha do novo sistema de controlo aéreo vai derrapar para o final do ano, uma vez que o Governo e a NAV – empresa que gere a navegação aérea em Portugal – estão ainda a analisar qual das opções existentes escolher.


Contudo, nunca será "antes de dois anos e meio" a implementação do novo "software", explicou a NAV. Tal, atira para 2020 a entrada do sistema de controlo aérea e a possibilidade de aumentar a capacidade da Portela acima dos 40 movimentos de aeronaves por hora.


O presidente do Conselho de Administração da ANA Aeroportos aproveitou ainda a oportunidade para definir como "uma discussão estéril" aquela em volta da escolha do Montijo para acolher um novo terminal do aeroporto de Lisboa.


Para Ponce de Leão, o que está em causa não é "um novo aeroporto", exigindo-se respostas rápidas perante uma Portela cuja capacidade já está nos 90%, acima dos limites recomendados pela IATA - Associação Internacional de Transportes Aéreos, e uma operação "ineficiente" tanto ao nível das companhias "low cost" como da operação em modelo de "hub" ou plataforma giratória.


"A questão do Montijo é vista como a única solução que responde às necessidades que o turismo tem de incrementar a curto prazo", defendeu.


As taxas aeroportuárias foram também colocadas em cima da mesa. "A necessidade de acomodar o crescimento [do fluxo turístico] precisa de taxas [aeroportuárias] que sejam competitivas, que não levem as companhias a sair de Lisboa para outros destinos", advertiu.

Ver comentários
Saber mais Jorge Ponce de Leão Assembleia da República NAV Portela Aeroporto Humberto Delgado Lisboa Governo Montijo IATA transportes aviação
Outras Notícias