Aviação Representante do grupo chinês HNA sai da administração da TAP

Representante do grupo chinês HNA sai da administração da TAP

Maximilian Otto Urbahn, que já foi administrador executivo da companhia aérea após a privatização, regressa ao conselho de administração na sequência da saída do grupo chinês HNA da Atlantic Gateway.   
Representante do grupo chinês HNA sai da administração da TAP
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Babo 28 de março de 2019 às 15:10

O administrador da TAP ligado ao grupo chinês HNA, Li Neng, renunciou ao cargo na transportadora aérea nacional, tendo sido substituído por Maximilian Otto Urbahn, que tinha já integrado aquele órgão quando era ainda liderado por Fernando Pinto.

Li Neng entrou para o conselho de administração da TAP em 2017 na sequência da posição assumida pelo grupo HNA no consórcio Atlantic Gateway, de Humberto Pedrosa e David Neeleman.

Com a venda da participação do grupo chinês no grupo privado que detém 45% da TAP, anunciada este mês, o seu representante renunciou às funções.

Maximilian Otto Urbahn, próximo de David Neeleman, chegou a ser vogal da comissão executiva da TAP depois da concretização, em novembro de 2015, da venda de 61% da companhia à Atlantic Gateway. Com a chegada de António Costa ao Governo foi feita uma reversão parcial da privatização da TAP, de forma a que o Estado voltasse a ter 50% do capital, os privados 45% e os trabalhadores 5%.   

A 15 de março último, o conglomerado chinês HNA anunciou num comunicado ao mercado bolsista de Xangai, a venda da participação de 20% na Atlantic Gateway por 55 milhões de dólares (48,6 milhões de euros) a entidades ligadas a David Neeleman, a Global Airlines Ventures, detida pelo norte-americano, e a Azul, a companhia aérea brasileira que fundou.

O grupo chinês começou há cerca de um ano e meio a enfrentar problemas de liquidez, o que o tem vindo a obrigar a alienar um conjunto de ativos. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI