Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Atlantia confirma que Lusoponte vai ficar nas mãos da Mota-Engil e Vinci

A Atlantia confirmou esta segunda-feira que a Mota-Engil e a Vinci exerceram o direito de preferência para adquirirem a participação de 17,21% da empresa italiana na concessionária das pontes 25 de Abril e Vasco da Gama.

A Lusoponte, concessionária das pontes 25 de Abril e Vasco da Gama, registou em dezembro, devido à covid-19, uma queda de cerca de 25% do tráfego.
Miguel Baltazar
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

A Atlantia confirmou esta segunda-feira que a Mota-Engil, através da Líneas, e a Vinci exerceram o direito de preferência para comprarem os 17,21% detidos pela empresa italiana na Lusoponte.

Em comunicado, a empresa italiana indica que o valor a desembolsar pelas duas empresas já acionistas da concessionária das pontes 25 de Abril e Vasco da Gama é de 55,7 milhões de euros.

A conclusão da operação, assinala a Atlantia, depende da "luz verde" do Estado concedente e dos bancos financiadores, bem como da Autoridade da Concorrência.

O Negócios tinha avançado a 4 de julho que a Vinci ia exercer o direito de preferência, tendo confirmado a 12 de julho, após o Eco ter noticiado, que a Mota-Engil também seguiu a mesma estratégia.

As duas empresas avançaram para o reforço das suas participações após a japonesa Marubeni ter feito uma proposta à Atlantia.

Com esta aquisição, os dois grupos passam a ser os únicos acionistas da Lusoponte, numa altura em que a empresa está em vias de saldar a sua dívida bancária. A concessionária tem previsto efetuar este ano dois pagamentos, através de duas prestações de 14,681 milhões de euros, o que lhe permitirá finalizar o reembolso da sua dívida bancária a pouco mais de oito anos de terminar o prazo da concessão (em março de 2030).

Depois de a Atlantia ter acordado com o MM Capital Infrastructure Fund, controlado pelo grupo japonês Marubeni, a venda da sua participação na Lusoponte por 55,7 milhões de euros, a Líneas, da Mota-Engil, e a Vinci Highways, do grupo francês, decidiram exercer o direito de preferência e vão reforçar as posições tendo em conta o peso das suas atuais participações.


Considerando o valor acordado entre a Atlantia e o fundo do grupo Marubeni, a Mota-Engil terá de pagar cerca de 28 milhões de euros para passar a deter 50,7% da Lusoponte, enquanto à Vinci caberá o desembolso de mais de 27 milhões para passar a controlar 49,3%.

Os dois maiores acionistas da Lusoponte tinham já exercido o direito de preferência aquando da venda da participação de 7,5% por parte da Teixeira Duarte, em 2018, impedindo a entrada da Companhia de Investimento China-Portugal Global, Limitada. 



Ver comentários
Saber mais Atlantia Lusoponte Vinci Mota-Engil Líneas Marubeni
Outras Notícias