Transportes Portugal é dos países da União Europeia que menos gasta em transportes

Portugal é dos países da União Europeia que menos gasta em transportes

O Estado português é o sétimo que menos gasta em transportes na União Europeia. A falta de dinheiro tem sido notada em empresas como a CP.
Tiago Varzim 04 de setembro de 2018 às 09:31
Os gastos do Estado português em transportes estão abaixo da média europeia. De acordo com os dados do Eurostat, divulgados esta terça-feira, dia 4 de Setembro, Portugal investiu 1,7% do PIB em transportes em 2016, o último ano para que há dados comparáveis na Europa. 

Esta percentagem traduz-se em 2,97 mil milhões de euros de despesa em transportes nesse ano, assumindo um produto interno bruto (PIB) de 174,5 mil milhões de euros. 

Na União Europeia, a despesa relacionada com transportes em 2016 foi de 1,9% do PIB, abaixo dos 2% registados em 2015. As percentagens mais elevadas registaram-se no Luxemburgo, Estado-membro que gasta 3,7% do PIB em transportes, e ainda Hungria e República Checa, ambas com 3,5%. 

No fundo da tabela está o Chipre com gastos na ordem dos 0,6% do PIB. Segue-se a Irlanda com 1,1%, Malta com 1,2%, Espanha com 1,4%, Alemanha com 1,5% e Itália com 1,6%. Depois surge Portugal com 1,7%, o sétimo Estado-membro que menos gasta neste sector.
O mesmo é dizer que 21 Estados-membros gastam mais que Portugal. É o caso da Grécia, que recentemente saiu do seu terceiro programa de resgate financeiro após oito anos de austeridade, que regista uma despesa em transportes de 2,7%.

Esta despesa, segundo a definição do Eurostat, inclui gastos com a administração, regulação, construção e manutenção da infraestrutura de transportes, incluindo estradas, água (rios e mares), ferrovia e transporte aéreo assim como as infraestruturas de transporte de bens como os oleodutos.

Esta definição abarca ainda as operações das empresas públicas de transportes que estejam dentro do perímetro das administrações públicas, como é o caso da Comboios de Portugal (CP), e ainda os subsídios ou investimentos acordados com operadores através de concessões para a gestão de transporte público. 

Recentemente, o Governo tem estado sob fogo por causa das notícias que dão conta da degradação da CP. Em causa está a falta de investimento que resulta em cancelamentos de comboios, atrasos e incapacidade de manutenção do material existente. Esta terça-feira o presidente da empresa irá ao Parlamento prestar esclarecimentos.



pub