Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fundador da Web pede um contrato para consertar internet

Governos, empresas e cidadãos devem estar juntos neste contrato para garantir uma melhor internet. E por isso o fundador da Web sugere a publicação de um contrato.

Alexandra Machado amachado@negocios.pt 05 de Novembro de 2018 às 22:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O fundador da Web, e não da internet como fez questão de salientar, está descontente com o estado das coisas. Já o tinha referido várias vezes, mas agora avançou com a iniciativa: promover um contrato da Web para governos, empresas e cidadãos aderirem.

#fortheweb é como se chama o programa, que já tem a Google, por exemplo, como aderente. E, segundo foi anunciado na cerimónia de abertura do Web Summit, também o governo francês assinou o contrato. É o primeiro governo a fazê-lo, segundo foi comunicado.

Tim Berners-Lee quer tornar a internet num mundo melhor. É que muito aconteceu de errado, segundo o seu olhar: invasão da privacidade, transferência de dados pessoais, "fake news", dados manipulados, "fake people, fake ideas, fake trues" [falsas pessoas, falsas ideias, falsas verdades]. Mas, apesar do diagnóstico, deixou uma mensagem de optimismo. Quem faz mal vai dar um passo atrás. E, assegurou o pai da Web, "vai ficar ok".

Para Tim Berners-Lee trata-se de "consertar" a metade do mundo que está online; e ainda há que "consertar" a outra metade que não está ligada. Trata-se pois de consertar as duas metades. E assim nasceu o momento 50/50.

O fundador da Web não tem dúvidas de que "tudo o que se faz para tornar a web mais poderosa, aumenta a divisão digital", por isso, há que assegurar que "as pessoas ligadas à web têm a web que querem, que produz o mundo que querem, e conserta as coisas", e por outro lado têm a obrigação de "ajudar os outros a estarem online".

"Tivemos esta ideia: o contrato para a web", contrato para diferentes partes se juntarem. "Toda a gente é responsável por tornar a web melhor", para "proteger a internet". É uma tarefa de "interesse público".

Na rede, as pessoas, acrescentou o mesmo responsável, têm de ser construtivas, têm de se portar bem e trabalhar para a verdade. "Precisamos da vossa ajuda", alertou, para falar do contrato para a web, que tem um conjunto de princípios, e cujo texto estará finalizado até ao próximo mês de Maio.

Para já tem nove princípios, sujeitos a discussão. Para os governos: assegurar que todas as pessoas se podem ligar à internet; deixar toda a internet disponível o tempo todo; e respeitar o princípio fundamental à privacidade.

Para as empresas: tornar a internet acessível e sustentável a toda a gente; respeitar a privacidade dos consumidores e os seus dados pessoais; e desenvolver tecnologia que promova o melhor da humanidade e desafie o pior que existe.

E para os cidadãos: sejam criadores e colaborativos na internet; construam comunidades fortes que respeitem o diálogo cívico e a dignidade humana; e lutem pela internet, para que se mantenha uma fonte aberta e global. 



Ver comentários
Saber mais Web Summit Web Tim Berners-Lee
Mais lidas
Outras Notícias