Bolsa Aston Martin avança para a bolsa de Londres

Aston Martin avança para a bolsa de Londres

A Aston Martin está a ponderar entrar em bolsa, de acordo com os documentos que deram entrada no regulador do Reino Unido. A decisão final sobre este processo será tomada até 20 de Setembro.
Aston Martin avança para a bolsa de Londres
Lusa
Negócios 29 de agosto de 2018 às 07:52

A fabricante do carro favorito do James Bond está a preparar a sua entrada em bolsa, de acordo com o registo que deu entrada na Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido, segundo a Bloomberg, que explica que uma empresa que esteja a ponderar avançar com uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) tem de apresentar este registo.

 

A decisão final e consequente publicação do prospecto da operação será feita até 20 de Setembro. Já ontem o Wall Street Journal avançava esta possibilidade, revelando que a empresa planeia colocar cerca de mil milhões de libras (ou 1,29 mil milhões de dólares) em acções na bolsa londrina.

Com esta operação, a marca de carros pode gerar até cinco mil milhões de libras através desta oferta, referem fontes próximas da operação ao jornal, isto se se considerar o máximo do intervalo previsto.

 

O plano da Aston Martin passa por colocar em bolsa 25% do capital da empresa, numa operação que contará com o apoio de accionistas já existentes, como os grupos de private equity, revela a Reuters.


"O anúncio de hoje representa um marco importante na história da empresa, que está a reportar resultados financeiros fortes e a aumentar a procura mundial pelos seus carros desportivos", salientou o presidente executivo da Aston Martin, Andy Palmer, num comunicado, citado pela Bloomberg.


A Aston Martin fechou o primeiro semestre do ano com receitas de 445 milhões de libras, o que corresponde a um aumento de 8% face ao mesmo período do ano passado. A contribuir para este desempenho esteve a procura dos modelos DB11 coupé e DB11 Volante. O EBITDA, resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações, aumentaram 14%.

 

Andy Palmer assumiu a liderança da Aston Martin em 2014, tendo-se focado no lançamento de novos modelos, como o popular DB11, de 200 mil dólares.

"Podemos demonstrar que o Brexit não tem grande um efeito em nós", afirmou o CEO da fabricante de carros de luxo à Reuters. O responsável disse não estar preocupado com eventuais tarifas impostas ao Reino Unido por parte da União Europeia, porque se as houver, Londres também imporá tarifas aos restantes países e, assim "podemos perder um pouco de quota de mercado na UE mas recuperamo-la no Reino Unido", adiantou.