Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Connor Clark & Lunn reduz aposta na queda dos CTT para mínimos de 2 anos e meio

O fundo canadiano voltou a reduzir a sua aposta na queda da empresa liderada por João Bento e tem agora uma posição curta de 0,89% nos CTT, o que equivale a 1,47 milhões de ações.

CTT
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 03 de Fevereiro de 2020 às 19:19
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
A aposta na queda dos CTT - Correios de Portugal voltou a cair já depois do fecho de sessão desta segunda-feira, dia 3 de fevereiro, com o fundo canadiano Connor Clark & Lunn a reduzir a sua posição curta na cotada para 0,89%, segundo a Bloomberg. 

Com esta redução, o fundo canadiano passou a ter 1,417 milhões de ações (uma participação de 0,89%) apostadas na queda, o que representa um valor mínimo desde junho de 2017. 

Esta tem sido uma tendência verificada nas últimas semanas pelos dois fundos que detêm posições a descoberto na empresa liderada por João Bento, a Connor Clark & Lunn e a BlackRock, que em conjunto detêm 3,03% de posições curtas nos CTT. 

No final de agosto, existiam sete "hedge funds" com participações a descoberto na empresa, equivalentes a 5,7% do capital.

Os bons resultados anunciados pelos CTT referentes aos primeiros nove meses do ano passado, com um lucro líquido de 22,9 milhões de euros - uma subida de 99% em termos homólogos - são os principais catalisadores para a redução das posições a descoberto, que tendem a aumentar quando as perspetivas da empresa são mais sombrias. 

Em novembro, a posição curta nos CTT era inferior, representando pouco mais de 2% do capital, o nível mais reduzido desde 2017.

A diminuição das posições curtas em empresas tem sido evidente também noutras cotadas da bolsa portuguesa. Depois de terem disparado para máximos de um ano no arranque de 2019, estas apostas na queda têm vindo a aliviar. BCP, CTT e REN continuam a ser as únicas alvo destas participações contrárias, mas com muito menos peso no capital.

Hoje, as ações dos CTT acompanharam o cenário do índice nacional e registaram uma queda de 0,61% para os 2,910 euros cada. Foram negociadas 828.200 ações, acima da média diária dos últimos seis meses de 642.704 ações. 

Ver comentários
Saber mais ctt posições curtas connor clark & lunn correios ações aposta na queda redução mínimos
Mais lidas
Outras Notícias