Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Wall Street no vermelho em semana de eleições no Reino Unido

Na semana em que decorrem as eleições legislativas britânicas e em que o ex-director do FBI vai depor no Senado, os investidores mostram-se expectantes pelos impactos destes eventos, pelo que Wall Street abriu a sessão a negociar em terreno negativo.

Reuters
David Santiago dsantiago@negocios.pt 06 de Junho de 2017 às 14:37
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

Depois de ontem as principais praças norte-americanas terem terminado o dia a corrigir ligeiramente face aos recordes de fecho e intra-diários alcançados na sexta-feira, Wall Street começou a sessão desta terça-feira, 6 de Junho, a negociar no vermelho. O Dow Jones abriu a cair 0,26% para 21.129,47 pontos, o Nasdaq Composite a recuar 0,22% para 6.281,703 pontos, e o Standard & Poor’s 500 a resvalar 0,26% para 2.429,69 pontos.

 

A marcar a negociação bolsista nos Estados Unidos está a expectativa relativamente a dois importantes eventos que terão lugar na próxima quinta-feira, 8 de Junho.

 

É o dia em que decorrem as eleições gerais no Reino Unido, antecipadas em Abril pela primeira-ministra Theresa May que, desde então, viu a vantagem que detinha nas sondagens relativamente ao rival trabalhista, Jeremy Corbyn, ser progressivamente encurtada a ponto de se acreditar estar em risco a maioria conservadora actualmente detida pelos conservadores no Parlamento.

 

É também a data marcada para a deposição de James Comey, antigo director do FBI, no comité dos serviços de informação do Senado, a câmara alta do Congresso americano. O depoimento de Comey no Senado irá incidir nas alegadas ligações a Moscovo do presidente Donald Trump, de elementos da sua administração e também que fizeram parte da sua equipa de campanha para as presidenciais de Novembro do ano passado.

 

O testemunho de James Comey, que foi demitido por Trump numa altura em que o FBI havia já iniciado uma investigação às conexões entre o entorno do presidente americano e a Rússia, poderá dar pistas sobre a robustez de um potencial, ainda que nesta altura improvável, processo de destituição contra o actual inquilino da Casa Branca.

 

Por outro lado, os investidores também esperam poder avaliar com maior precisão o impacto que a investigação às ligações da administração Trump relativamente ao Kremlin poderá ter na prossecução do prometido plano económico, que o presidente americano afiançou conter um grande corte na carga fiscal e uma forte aposta no investimento em grandes infra-estruturas.

As acções da Perrigo iniciaram o dia a desvalorizar 2,26% para 70,16 dólares, depois de a farmacêutica ter anunciado que o seu CEO pretende abandonar o cargo.

 

Nota negativa ainda para a HD Supply Holdings que começou a sessão a afundar 17,37% para 34,10 dólares, com a cotada a negociar no valor mais baixo desde 8 de Novembro do ano passado, após a distribuidora industrial ter anunciado a intenção de vender a unidade de "private equity" Clayton à Dubilier & Rice por 2,5 mil milhões de dólares. 

 
(Notícia actualizada às 14:48)

Ver comentários
Saber mais Wall Street Nasdaq Composite Standard & Poor's 500 Dow Jones Jemes Comey Donald Trump FBI Rússia Reino Unido Theresa May
Outras Notícias