Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bitcoin perde força depois de Banco da Turquia proibir pagamentos com criptomoedas

O banco turco vai proibir, a partir de 30 de abril, o uso de criptomoedas no país, uma vez que considera que apresentam um grande risco para o país. A falta de regulação está entre os maiores problemas apontados pelo banco.

A plataforma de negociação de criptomoedas Coinbase vai estrear-se no Nasdaq esta quarta-feira.
Dado Ruvic/Reuters
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 16 de Abril de 2021 às 16:05
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

O Banco Central da Turquia vai banir o uso de criptomoedas no país e o recurso a cripto-ativos para fazer pagamentos, por considerar que que podem causar danos "irreparáveis" e riscos de transação, numa altura em que o país vive uma nova crise inflacionista e de desvalorização da moeda. Como consequência, a bitcoin e outras criptomoedas perdem força nesta sexta-feira.

A bitcoin, moeda digital mais famosa do mundo - que sozinha tem um valor de mercado superior a todas as outras juntas -, devaloriza quase 5% hoje para o patamar dos 60 mil dólares por unidade, depois de ter superado os 65 mil dólares nos últimos dias. Outras moedas mais pequenas, como a XRP ou a Ether (da Ethereum) perdem entre 6 a 12%.

"Considera-se que a sua utilização [de criptomoedas] nos pagamentos pode causar perdas não recuperáveis para ambas as partes nas transações (...) e estas incluem elementos que podem minar a confiança nos métodos e instrumentos usados atualmente nos pagamentos", pode ler-se no relatório intitulado "Regulation on the Disuse of Crypto Assets in Payments", publicado pelo banco turco.

No mesmo documento, a instituição acrescenta que entre os maiores riscos de segurança que este tipo de ativo comporta está o facto de moedas como a bitcoin 
"não estarem sujeitas a quaisquer mecanismos de regulação e supervisão, nem a uma autoridade reguladora central".

A decisão pode pressionar o mercado de criptomoedas em Ancara, que, à imagem do que acontece em todo o mundo, está em franca expansão. De acordo com os dados da Chainalysis, citados pela Reuters, o volume de transações de criptomoedas na Turquia atingiu os 27 mil milhões de dólares entre fevereiro e março deste ano, o equivalente a 218 mil milhões de liras turcas.

Neste momento - e após a demissão de Naci Agbal, o terceiro governador do banco da Turquia ser dispensado no espaço de menos de dois anos - a lira turca vive uma nova crise, depois de ter "crashado" novamente frente ao dólar norte-americano no final de março e agora após esta demissão. No mês passado,
 a inflação atingiu os 16%.

Agbal, no cargo há cinco meses, anunciou um aumento das taxas de juro diretoras em dois pontos percentuais (de 17 para 19%) para conter a subida da inflação do país (atualmente em 15,6%), uma opção que foi aplaudida pelos mercados internacionais, mas que parece não ter agradado ao presidente da Turquia, Erdogan, conhecido por se opor a quaisquer subidas de taxas de juro.

Esta semana, a
 Royal Motors - que distribui carros Rolls-Royce e Lotus na Turquia - tornou-se a primeira empresa no país a aceitar pagamentos em criptomoedas.

Ver comentários
Saber mais Naci Agbal Bitcoin Banco Central da Turquia Turquia economia negócios e finanças política macroeconomia regulamentação
Outras Notícias