Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas norte-americanas recuperam mais de 4% após promessa da Fed

As acções norte-americanas encerraram em alta numa sessão de grande volatilidade. Os principais índices da região acabaram por progredir cerca de 4% ou mais, depois de terem hesitado entre ganhos e perdas após a decisão anunciada pela Fed.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 09 de Agosto de 2011 às 21:38
O Dow Jones Industrial Average valorizou 3,98% para 11.239,77 pontos com as 30 cotadas que o compõem em alta. O Standard & Poor’s valorizou 4,74% para 1.172,53 pontos e quase 95% das cotadas que o integram em alta, enquanto o Nasdaq apreciou 5,29% para 2.482,52 pontos.

Ben Bernanke anunciou hoje a decisão de manter a taxa de juro de referência para a economia norte-americana inalterada pelo menos até meados de 2013 e disse também que a Fed tem ao seu dispor mecanismos para apoiar a economia.

A reacção dos mercados acabou por ser positiva, mas o que se verificou inicialmente foi a venda de muitas acções, devido ao facto de Bernanke não ter anunciado a introdução de novos estímulos à economia. Após o anúncio da decisão as bolsas norte-americanas ainda chegaram a perder mais de 1% e só na última hora de negociação iniciaram o "rally" que durou até ao fecho, permitindo aos índices recuperar grande parte das perdas sofridas na segunda-feira.

“Fomos demasiado longe, demasiado rápido”, disse o estratega da unidade de banca privada do KeyCorp, Bruce McCain, à Bloomberg. “Podemos ter um bocadinho de hesitação entre subidas e descidas à medidas que optimistas e pessimistas ganham, temporariamente, vantagem. Ainda assim, estamos numa altura em que o mercado está a tentar ultrapassar um mínimo”, acrescentou.

A animar a negociação estiveram, sobretudo, os títulos da banca, mais dependentes da acção da Fed. O Bank of America avançou 5,22% e o JPMorgan valorizou 4,29%.

A Catterpillar progrediu 5,91% para 87,48 dólares e a IBM ganhou 2,64% para 170,61 dólares.

Os títulos da McDonalds valorizaram 4,69% para 85,96 dólares por acção. A cadeia de restaurantes viu hoje o banco de investimento Goldman Sachs subir o seu preço-alvo para 96 dólares por acção e aumentar a recomendação de “neutral” para “compra convicta”.

Também a contribuir para os ganhos do índice Dow Jones 30 estiveram os ganhos de 6,18% da Boeing para 62,34 dólares e os da 3M que progrediu 5,22% para 82,69 dólares.

Ver comentários
Saber mais bolsa Nasdaq Dow Jones S&P 500
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio