Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CMVM alerta investidores para entidade que se quer passar pelo Banco Carregosa

O regulador emitiu um alerta aos investidores onde avisa que a entidade Carregosa-Gestion não tem qualquer relação com o Banco L-J. Carregosa, nem está habilitada a atuar em Portugal.

Bruno Colaço
Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 28 de Janeiro de 2022 às 10:52
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

Apresenta-se com o nome Carregosa-Gestion e usa o mesmo logotipo do banco original, mas não se trata do Banco L.J. Carregosa. O alerta é deixado pela Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) aos investidores, avisando que esta entidade não tem qualquer ligação com o Banco Carregosa, nem está autorizada e registada em Portugal para qualquer atividade de intermediação financeira no país.

 

"A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) alerta para o facto de a entidade CARREGOSA-GESTION que atua através do website https://accesoprivada-crgsa.com/ e do endereço de e-mail service.client@carregosa-gestion.com estar a utilizar indevidamente elementos identificativos, como sejam a denominação semelhante e logotipo, do Banco L.J. Carregosa, S.A.", esclarece o regulador liderado por Gabriel Bernardino, num alerta divulgado esta manhã.

 

O regulador avisa que esta entidade, e ao contrário do que é divulgado, não tem qualquer relação com o intermediário financeiro Banco L.J. Carregosa, S.A., "registado na CMVM, e que não é objeto da presente comunicação nem, de qualquer forma, visado pela mesma".

 

Apesar de apresentar um nome parecido com o do intermediário original, assim como outros elementos identificativos, a Carregosa-Gestion não possui registo, nem autorização para atuar em Portugal, nem para "realizar publicidade ou prospeção de clientes dirigidas à celebração de contratos de intermediação financeira".

 

Esta não é a primeira vez no mercado nacional que surgem entidades não autorizadas com nomes semelhantes aos de intermediários registados, tentando iludir os investidores. No passado, a CMVM já havia realizado um aviso semelhante sobre uma entidade que se apresentava com o nome Otimize, procurando passar-se pela gestora Optimize Investment Partners.

 

Mas estes não foram casos únicos. Desde 2019 que as tentativas de fraude digital têm aumentado exponencialmente, à medida que os investidores recorrem cada vez mais aos canais digitais, e o aparecimento desta espécie de "clones" é mais uma das formas de tentativa de manipulação no mercado, temas para os quais o regulador tem alertado.

 

O regulador alerta os investidores que, em caso de dúvida sobre a identidade de um intermediário financeiro, devem consultar a lista de intermediários financeiros autorizados (através do link http://web3.cmvm.pt/sdi/ifs/app/pesquisa_nome.cfm?nome ) ou a lista de entidades habilitadas a prestar serviços financeiros em Portugal em regime de Livre Prestação de Serviços (LPS) (através do link http://web3.cmvm.pt/sdi/ifs/LPS/index.cfm ).

Ver comentários
Saber mais CMVM Banco Carregosa intermediação financeira fraude digital regulação
Outras Notícias