Mercados Corrida aos mercados monetários não era tão forte desde o colapso do Lehman

Corrida aos mercados monetários não era tão forte desde o colapso do Lehman

Os estrategistas do Bank of America Merrill Lynch assinalam o crescente apetite por fundos monetários, o qual se encontra em níveis sem paralelo desde a recessão de 2008.
Corrida aos mercados monetários não era tão forte desde o colapso do Lehman
Reuters
Negócios 11 de outubro de 2019 às 13:03

Os investidores já não se mostravam tão cautelosos desde o colapso do banco Lehman Brothers, o evento que marcou a última grande recessão económica mundial, assinalam os estrategistas do Bank of America Merrill Lynch, com base nos níveis da aposta nos mercados monetários, de acordo com a Bloomberg.

Nos últimos seis meses, os fundos do mercado monetário atraíram 322 mil milhões de dólares (292 milhões de euros), a maior quantia desde a segunda metade de 2008. Tal como aconteceu entre 2007 e 2008, os investidores aumentaram o capital retido no mercado monetário apesar das taxas de juros estarem em queda.

Só nos sete dias que terminaram a 9 de outubro, foram levantados 9,8 mil milhões de dólares de fundos de capital, segundo os dados da EPFR Global que foram citados pelo Merrill Lynch. Em contraste, os fundos de obrigações receberam 11,1 mil milhões de dólares no mesmo período.

De acordo com a análise da mesma instituição, os investidores estão a sofrer de uma "paralisia por pessimismo (bearish paralysis)", motivada pelo impasse em assuntos como a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, o Brexit, o impeachment de Trump e a investigação associada e os medos de recessão.

A contrariar os receios está, contudo, a perspetiva apontada pelos mesmos analistas de que este comportamento dos investidores venha adiar uma eventual recessão. O Bank of America Merrill Lynch acredita que a economia não só pode beneficiar do atual posicionamento das obrigações como também levar a um melhor desempenho das ações.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI