Conheça os maiores fundos soberanos do mundo

Numa altura em que a Arábia Saudita anuncia que está a preparar a criação de um megafundo soberano, vale a pena conhecer os que são, actualmente, os maiores do mundo. Todos alimentados pelos ganhos com o petróleo.
Jornal de Negócios
pub
André Tanque Jesus 09 de abril de 2016 às 14:30

Muito se fala do fundo soberano da Noruega. O maior do mundo, no qual o país do Norte da Europa aplica os retornos que obtém com a exploração e produção de petróleo. Mas a verdade é que este não é o único. São vários os fundos soberanos criados pelos governos de todo o mundo, quer seja para rentabilizar os recursos naturais, quer seja para acumular riqueza para as gerações vindouras.

A estratégia do fundo da Noruega passa precisamente por esses dois polos. Criado há mais de 20 anos, acumulava uma riqueza de 824,9 mil milhões de dólares (cerca de 759 mil milhões de euros) no final de 2015, segundo os dados do Sovereign Wealth Fund Institute. Mas este é também líder no "ranking" da transparência, no qual a organização lhe atribui nota "10", a mais elevada da escala.

Contudo, ao contrário do que seria de esperar, este é dos poucos fundos soberanos da Europa. A maior predominância é nas regiões do Médio Oriente e da Ásia-Pacífico, onde estão sediados 18 dos 20 maiores fundos soberanos do mundo – e onde nascerá o fundo de dois biliões da Arábia Saudita. Entre todos, o destaque vai mesmo para a principal fonte de riqueza: o petróleo. Fique a conhecer os cinco maiores fundos soberanos.

  1. Fundo de Pensões Governamental – Noruega


Com um património de quase 825 mil milhões de dólares, o fundo soberano da Noruega é gerido pelo Norges Bank Investment Management, um braço do banco central do país. Apesar de recentemente ter resgatado uma parcela da liquidez para fazer face à despesa pública, é neste que o Governo deposita os rendimentos que obtém da exploração petrolífera. O objectivo assumido é poupar para as gerações futuras, uma vez que o petróleo não durará para sempre. E o dinheiro que está lá é investido em vários activos, especialmente acções. Entre as acções estão muitas da bolsa de Lisboa.

pub
  1. Abu Dhabi Investment Authority – Emirados Árabes Unidos


Criado em 1976, o fundo soberano de Abu Dhabi acumulava 773 mil milhões de dólares no final de 2015. E o Sovereign Wealth Fund Institute atribui-lhe nota "6" na transparência. Também este fundo rentabiliza os retornos que o Governo deste Emirado obtém da exploração de petróleo.

  1. China Investment Corporation – China


Este é um dos vários fundos soberanos do Estado chinês. Apesar do património de 746,7 mil milhões de dólares, este fundo foi estabelecido somente em 2007. Ao contrário dos anteriores, este não é alimentado pelos ganhos pelo petróleo, ficando sim responsável pela gestão de parte das reservas cambiais do Banco Popular da China.

  1. SAMA Foreign Holdings – Arábia Saudita
pub


Com 64 anos de existência, o fundo soberano da Arábia Saudita acumula a riqueza gerada com a elevada produção de petróleo pelo país. O Sovereign Wealth Fund Institute atribui-lhe apenas uma classificação de "4" na escala da transparência, tendo sob gestão 617,8 mil milhões de dólares. A gestão deste fundo está a cabo do banco central da Arábia Saudita.

  1. Kuwait Investment Authority – Kuwait


O fundo soberano do Kuwait fecha o ranking dos cinco maiores do mundo. Criado em 1953, este registava um património de 592 mil milhões de dólares no final de 2015. É também alimentado pelas receitas que o país gera com a exploração e produção de petróleo, ficando a sua gestão a cargo do Kuwait Investment Office. A sua transparência é avaliada como nota "6". 

pub