Outros sites Cofina
Notícia

Prémio Investir em Saúde: Parcerias para a integração de cuidados

A junção de esforços, a utilização da tecnologia e a gestão da saúde pelos resultados são algumas marcas de água destes projetos finalistas ao Prémio Investir em Saúde, uma iniciativa do Jornal de Negócios e da Janssen.

Filipe S. Fernandes 04 de Outubro de 2022 às 13:30
DR
  • Partilhar artigo
  • ...

Integração de cuidados e articulação de atores

O Hospital Arcebispo João Crisóstomo (HAJC) tem uma estratégia de integração entre diferentes níveis de cuidados e de articulação com a autarquia e setor social. Esta ação passa por deslocar semanalmente uma equipa de profissionais para realizar ecografias, análises, ECG e consultas descentralizadas nos cuidados de saúde primários e nas IPSS (Instituições Particulares de Solidariedade Social).

As responsabilidades são divididas entre o HAJC, que disponibiliza a equipa, o Agrupamento de Centros de Saúde Baixo Mondego (ACESBM,) que disponibiliza os espaços necessários e articula as requisições, e o município, que assegura o transporte.

Como resultados destacam-se a articulação entre o HAJC e as unidades de CSP e onze IPSS, o que permitiu que, no primeiro ano de atividade, fossem atendidos 300 doentes, e ganhos de eficiência verificados no aumento de 53% dos exames realizados do exterior que passam a representar 35% da produção contra 26%, em 2020.

A covid-19 e a saúde mental das crianças

Em janeiro de 2021, havia um número de casos de covid-19 em idade pediátrica sem precedentes, o que levou ao acompanhamento pedopsiquiátrico de crianças com sinais e sintomas psicopatológicos, referenciados pela especialidade de Infeciologia.

O projeto PSICOVID nasceu da articulação entre o serviço de Infeciologia e a Pedopsiquiatria do Hospital D. Estefânia. Das crianças infetadas entre março 2021 e abril 2022, foram selecionadas as que apresentavam risco de psicopatologia ou sintomas “long covid”, nomeadamente problemas de sono, de concentração, dores de cabeça e fadiga.

Entre os resultados obtidos, percebeu-se que o internamento foi protetor em relação ao desenvolvimento de sintomas da saúde mental, e que a intervenção levou à diminuição dos sintomas das crianças acompanhadas, evidenciados pelos testes aplicados.

Uma aplicação autónoma e verde

A app CHUPorto foi desenvolvida com um parceiro externo, a SEAMLINK, e permite gerir a saúde do agregado familiar, consultar o histórico da relação com o hospital, solicitar declarações de presença, liquidar taxas moderadoras, consultar relatórios clínicos, entre outros.

A solução é escalável e tem várias linhas de evolução como as dirigidas aos utentes, como a recolha de medicamentos na farmácia hospitalar, a integração com o sistema de gestão de filas de espera e efetivação de presenças, o suporte ao processo de assinatura do consentimento informado, mas também vocacionadas para os profissionais, nomeadamente no acesso inovador à gestão da alimentação na instituição.

A app CHUPorto tem cerca de 50 mil utilizadores ativos e uma média mensal de 150 mil acessos. Permite uma poupança anual de 200 mil euros em comunicações postais e é verde, pois evita a impressão de 850 resmas de papel e o uso de 420 mil envelopes/ano.

Consulta pós-operatória

Esta consulta foi criada com base na experiência da consulta pré-operatória, realizada no Centro de Responsabilidade Integrada de Oftalmologia do Hospital Garcia de Orta. Responde às necessidades de apoio, validação, supervisão e segurança no pós-operatório, proporcionando cuidados de enfermagem ao utente, família e cuidadores.

O projeto começou a ser desenvolvido em novembro de 2021 e até agosto de 2022 realizou 380 consultas. Esta consulta é realizada através de um contacto telefónico entre as 48h e as 96h após a cirurgia e tem como objetivos: gerir expectativas no pós-operatório; diminuir a ansiedade do utente; encaminhar precocemente para avaliação médica em caso de sinais de alerta; apoiar na criação de mecanismos de adaptação à realização dos autocuidados; esclarecer dúvidas sobre cuidados pós-operatórios e regime terapêutico e validar e reforçar os ensinos realizados no dia da cirurgia.

Menos telefonemas, mais atendimento

O Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUPorto) tem atendimento disponível 24 horas por dia, sete dias por semana através de um sistema automático de atendimento, em que o utente pode, em tempo real, deixar uma mensagem com a sua questão, que será depois respondida. Foi desenvolvido com um parceiro externo, a Decunify, e recorre à inteligência artificial, para converter a mensagem de voz deixada pelos utentes num texto escrito remetido automaticamente para um email institucional.

Este sistema de atendimento telefónico, que combina uma solução de inteligência artificial com a tecnologia IVR (Interactive Voice Response), permite evitar filas de espera e perda de chamadas, já que é capaz de atender um número ilimitado de chamadas em simultâneo e registar em texto todas as mensagens de voz deixadas pelos utentes. Esta solução reduziu, em mais de 50%, o número de chamadas recebidas. Foram feitos 10.037 contactos atendidos pelo Voicebot, dos quais 9.323 já resolvidos com êxito.

Resultados em saúde em 30 hospitais e 40 patologias

Na Luz Saúde, a definição de uma estratégia Value Based Healthcare (VBHC) é parte estrutural da sua missão e cultura organizacional, o que torna cada vez mais este projeto uma condição de sucesso na sua abordagem multidisciplinar e interdisciplinar no panorama da saúde em Portugal.

Este projeto evidencia uma melhoria significativa na cadeia de valor para o doente na sua relação de melhores resultados clínicos e respetivo custo; pelo que mecanismos de avaliação em múltiplas patologias assentes numa operacionalização de transparência, evidência, possibilitam uma redução significativa da variabilidade desses mesmos resultados com reflexo direto nos custos globais.

Este modelo integrado de valor está numa rede de mais de 30 hospitais desde 2015, sendo a maior experiência de VBHC em Portugal, integrando 40 patologias, o que permite a modelação dos resultados clínicos e de satisfação dos doentes associada aos custos necessários para a maximização destes resultados - criando um maior equilíbrio no sistema e avaliação da realidade nas patologias.

A medicina do sono

Criação de um serviço especializado em medicina do sono (Centro de Responsabilidade Integrado do Sono e Ventilação Não Invasiva), multidisciplinar, com especial foco na atribuição de meios humanos e técnicos para conseguir dar uma resposta de qualidade e atempada aos doentes do SNS com suspeita ou diagnóstico de patologia respiratória do sono.