Outros sites Cofina
Notícia

O júri e o Comité Especial de Júri

O Portugal Digital Awards conta com um painel de jurados para avaliar os méritos dos projetos a concurso e com um grupo de observadores.

Filipe S. Fernandes 30 de Setembro de 2020 às 14:30
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Os membros do júri têm as competências para analisar, deliberar sobre a admissão das candidaturas aos prémios e elaborar a lista de classificação final. O júri pode decidir não atribuir determinado prémio se considerar que as candidaturas não têm a qualidade necessária, não são adequadas ou não estão de acordo com os objetivos propostos.

Fazem parte do júri figuras com ligação ao universo académico, empresarial, marcado pela transformação digital. O júri é constituído por Céline Abecassis-Moedas, diretora da Formação de Executivos e professora associada na Católica-Lisbon, Patrícia Candeias, diretora para a inovação do Museu das Comunicações, Patrícia Lopes, associate dean da Porto Business School e professora auxiliar da Faculdade de Economia do Porto, Bernardo Rodo, presidente do IAB, Bruno Horta Soares, presidente da ISACA Lisbon Chapter e docente no Programa Digital Transformation da Católica Business School, Fernando Bação, professor associado e subdiretor da NOVA IMS, Gabriel Coimbra, vice-presidente do Grupo IDC e diretor-geral da IDC Portugal, que tem voto de qualidade, José Tribolet, professor catedrático do Instituto Superior Técnico e presidente da comissão executiva do INESC, Miguel Fontes, diretor executivo da Startup Lisboa, Rogério Carapuça, presidente do APDC e Madalena Tomé, CEO da SIBS.

O Comité Especial

Adicionalmente, existe o Comité Especial de Júri que tem como função nomearem personalidades para a categoria Best Digital Leader e projetos e/ou empresas para a categoria o Best Digital Transformation Idea constituído por Francisco Barbeira, administrador executivo do BPI, Pedro Faustino, managing director da Axians, Rogério Campos Henriques, vice-presidente da comissão executiva da Fidelidade, Vergílio Rocha, assessor do conselho de administração Executivo da EDP, e João Dias, administrador do AICEP.

O pitch para chegar ao prémio

Em 2019, os 30 melhores projetos tiveram de participar num pitch para se selecionarem os premiados. Este ano o processo será idêntico, após recebimento das candidaturas e validação por parte da equipa de research da IDC, serão selecionados os projetos finalistas, prevemos cerca de 50, que terão de fazer um pitch ao júri de forma a provarem o seu valor. Após o pitch, o júri escolherá apenas um projeto vencedor em cada uma das categorias.


Arraste a barra "scroll" para ver a imagem completa

Mais notícias