Outros sites Cofina
Notícia

A cada utente o seu plano de saúde

Esta ferramenta desenvolvida pelos SPMS pretende levar o utente a gerir os seus próprios cuidados e doenças com autonomia e autocuidado, tem o apoio e a proximidade dos serviços de saúde.

Filipe S. Fernandes 07 de Janeiro de 2020 às 14:30
Os Sistemas de Informação dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde foram distinguidos com o prémio Best Digital Workplace. David Cabral Santos
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Best Digital Workplace Plano Individual de Cuidados

O Plano Individual de Cuidados (PIC) é uma ferramenta centrada no utente e cujo objetivo é, em conjunto com o médico família ou médico assistente, definir metas, objetivos e ações a tomar para promover a sua saúde, ou tratar de forma ativa doenças, que já estejam diagnosticadas.

Regista informação relativa à proteção e promoção da saúde, desde disfunções, a doenças, à prevenção dos excessos diagnósticos e terapêuticos considerados prioritários para um horizonte temporal definido. Para cada uma dessas situações, o PIC regista a situação atual, os objetivos que se pretendem atingir, as ações e comportamentos necessários para o efeito.

"Combate as listas de espera, traz benefícios financeiros, porque o utente evita consultas desnecessárias e traz ganhos em saúde", disse numa entrevista ao Jornal de Negócios, Cristiano Marques, coordenador dos Sistemas de Informação dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

Piloto a Norte

O projeto arrancou com um piloto na zona norte, com mais de 1500 Planos Individuais de Cuidados. Entre as maiores preocupações, manifestadas pelos utilizadores do Plano, estavam a alimentação, o exercício físico, o sono e o humor. "Estes resultados representam uma inversão da pirâmide porque a nossa preocupação sempre foi o tratamento da doença e estas áreas são claramente promoção de saúde em vez de tratamento da doença, o que, a médio longo prazo, irá trazer benefícios às entidades de saúde e aliviar a sobrecarga no sistema nacional de saúde", disse Cristiano Marques numa entrevista.

O PIC nasceu de um trabalho conjunto de vários stakeholders como a Escola Nacional de Saúde Pública, médicos de família, profissionais de saúde no terreno e utente, foi pensado para ser um Plano seguro e adequado, logo é importante que seja feito no âmbito de uma consulta. No entanto, pode ser acedido pelos utentes através da MySNS Carteira e da Área do Cidadão do Portal SNS (https://www.sns.gov.pt/cidadao), e os profissionais de saúde podem acompanhar estes registos através do Registo de Saúde Eletrónico - Área do Profissional.

Com o PIC as unidades do SNS passam a atuar no programa SNS+ Proximidade, o que permite a articulação com outras estruturas do Ministério da Saúde, para o acesso a consultas de especialidades hospitalares e de exames complementares de diagnóstico (MCDT) e para um acesso mais desmaterializado a áreas como acesso à Gastrenterologia, Pneumologia, Cardiologia e telemedicina, apoio em saúde mental (ansiedade, depressão e demências). A colaboração inclui as farmácias da comunidade do utente, e, por exemplo, as unidades de intervenção local especializadas em comportamentos aditivos e dependências.

Mais notícias