Outros sites Cofina
Notícia

A liderança pelo exemplo e orientada para os resultados

Madalena Cascais Tomé, CEO da SIBS, diz que tem um estilo e forma de liderança próprios, pessoais e que são únicos. “Acredito que para ter impacto e ser uma boa líder tenho de me manter na essência fiel ao meu estilo.”

Filipe S. Fernandes 07 de Janeiro de 2020 às 15:00
Madalena Cascais Tomé lidera a SIBS há quatro anos. David Cabral Santos
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Best Digital Leader Madalena Cascais Tomé

"Somos atualmente um dos principais players de pagamentos e tecnologia a nível europeu", diz Madalena Cascais Tomé, que há quatro anos lidera a SIBS. Sob a sua liderança a empresa desenvolveu quatro novas infraestruturas de pagamentos, como o MBWay, que já atingiu os 2 milhões de utilizadores, a Digital Payments Gateway, os Pagamentos Imediatos, o SIBS API Market, e lançaram mais de 60 novos produtos e serviços em Portugal, como a solução de prevenção de Fraude PAYWATCH, a solução de mobilidade Pay-as-You-Go (utilizada, p.ex., no Viva Go), a Rede ATM Express, a solução automatizada de abertura de conta, a solução de tratamento automatizado de Penhoras e o SIBS Analytics.

Sublinha ainda a modernização da plataforma de processamento, "que é hoje única na Europa, e uma das mais resilientes, seguras e com elevado nível de performance", garante Madalena Cascais Tomé. Estes factos fazem que as transações processadas estejam perto dos 3,5 mil milhões, o que representa um crescimento de mais 35% nos últimos 4 anos e, para 2023 esteja definido o objetivo de atingir os 4 mil milhões de transações.

Cultura forte

Este é o balanço da gestão de Madalena Cascais Tomé na SIBS. Defende uma liderança pelo exemplo e a orientação para os resultados, que têm de ser concretos e mensuráveis. "Gosto de estar "no terreno" com as equipas, a fazer acontecer, a dar feedback ou coaching, e em transmitir continuamente a visão, objetivos e relevância do que estamos a fazer em cada projeto ou atividade". Acrescenta que considera "muito importante definir objetivos de forma objetiva e mensurável, e garantir que as equipas e individualmente têm claros os principais drivers para os conseguir e mantêm o foco e a perseverança necessária para os atingir. Para que todos, tendo clara essa visão e objetivos, possam contribuir e dar o melhor de si".

Quando chegou à SIBS já tinha a experiência das telecomunicações, um setor muito dinâmico e que gerava a disrupção, mas reconhece que teve de se adaptar a uma cultura de empresa diferente e forte. Na SIBS, a principal adaptação resulta da velocidade e ritmo a que se tem de atuar, reagir e tomar decisões, e por essa via a necessidade de cada vez mais informação e uma maior diversidade de perspetivas. A outra está relacionada com uma muito maior intensidade e ritmo de experimentação de alternativas, num contexto cada vez mais complexo, e por essa via uma maior capacidade de priorização e de gestão de modelos colaborativos e de parceria, quer entra equipas, quer mesmo entre organizações.

Uma carreira na voz ativa

Madalena Cascais Tomé é licenciada em Matemática Aplicada pelo ISEG e pós-graduada em Pesquisa de Mercado e CRM pela Universidade Nova de Lisboa. Começou a sua carreira na Arthur Andersen, depois Deloitte, e seguiu-se para a McKinsey. "Em consultoria tive a oportunidade de ter exposição muito rápida a um conjunto muito alargado de indústrias, de temas e de áreas de competência, desde estratégia, marketing, tecnologia e operações", referiu Madalena Cascais Tomé.

A sua carreira prosseguiu na Portugal Telecom, atual Altice, onde foi diretora de Operações Comerciais e diretora de Canais Remotos, Online e Novos Canais para a PME. "Quando assumi o cargo de Diretora passei a ser responsável não só pela definição da estratégia, mas também pela sua execução, pela tomada de decisão, pela alocação de recursos e gestão de equipas de centenas de pessoas, e por resultados".

Viveu um momento único que foi convergência entre comunicações fixas e móveis. Esta experiência veio reforçar a minha paixão por inovação digital, que passa por tecnologia, mas sobretudo por novos modelos de negócio e experiências de cliente, e permitiu-me adquirir a resiliência necessária a gerir equipas e projetos de enorme dimensão e complexidade", considera Madalena Cascais Tomé.

Mais notícias