Como a Emel passou do estacionamento para a mobilidade

João Dias recebeu o Axians Best Digital Leader pelo seu papel de transformação digital da EMEL. Hoje na AICEP prepara a sua revolução digital.
Como a Emel passou do estacionamento para a mobilidade
Gabriel Coimbra, CEO da IDC, Paulo Ferreira, Executive Director da Axians Portugal, João Dias, o galardoado, e André Veríssimo, director do Negócios
David Martins
Filipe S. Fernandes 20 de dezembro de 2018 às 15:00
João Dias chegou à Emel em março de 2014 vindo da Prio Energy (empresa distribuidora de combustíveis) e da Prio.E (empresa spin-off da Prio Energy dedicada ao negócio da mobilidade elétrica), onde tinha sido gestor.

Os objectivos na empresa municipal eram passar da gestão de estacionamentos para a gestão da mobilidade, melhorar o serviço prestado e a produtividade interna da empresa. "Não era razoável ser implacável com os clientes quando nem lhe dávamos condições para poder cumprir. Refiro-me ao pagamento do estacionamento, que exigia ter sempre moedas ou ter de procurar um parquímetro a funcionar, por vezes, longe de onde tínhamos estacionado o carro", explica João Dias.

O foco no cliente

Este plano passou por realizações concretas. Com os clientes melhorou-se o pagamento com a App ePark, a resposta a reclamações e nos tempos de espera de desbloqueio da viatura. Em termos de organização interna, com o melhor planeamento das rotas dos fiscais (que permitiu um grande salto na produtividade e eficácia da fiscalização), com a digitalização de todo o processo de fiscalização do estacionamento (os fiscais passaram a utilizar smartphones) e a introdução do scan car (na fiscalização electrónica do estacionamento em zonas reservadas a residentes), entre outros permitiu melhorar a operação da empresa. Deu-se ainda o alargamento do âmbito da actividade para o sector da mobilidade com o lançamento do bike sharing - Gira (Bicicletas de Lisboa).

A principal dificuldade, segundo João Dias, "foi a cultura da empresa estava que muito centrada na gestão da infraestrutura (lugares de estacionamento) e na fiscalização. Não era dada prioridade ao cliente. A grande mudança foi tentar colocar o cliente no centro da actividade da empresa".

A grande mudança foi tentar colocar o cliente no centro da actividade da empresa. João Dias
Administrador da AICEP

Está desde abril de 2017 na AICEP, onde tem "ambiciosos desafios de transformação digital", diz João Dias. Promete que no primeiro trimestre será implementada a nova plataforma com os produtos e serviços de maior valor acrescentado no apoio à internacionalização das PME nacionais.

"Depois do apoio à internacionalização, no segundo semestre de 2019, iremos transformar toda a área da angariação de investimento, com o desenvolvimento de novos produtos e serviços para optimizar a captação de investimento para Portugal", referiu João Dias.

Menos dinheiro na AICEP

Para o administrador do AICEP existem diferenças significativas entre as duas organizações em que esteve envolvido na transformação digital. Em termos de clientes, passou dos individuais para os empresariais, por outro lado, a AICEP tem uma operação mais descentralizada, com uma rede externa de delegações em mais de 50 países.

"A EMEL tinha muito mais orçamento disponível, do que a AICEP. Mas os apoios públicos disponíveis para a modernização administrativa (SAMA) têm permitido encontrar o financiamento necessário para a transformação da agência", explica João Dias.

Adianta, no entanto, que na "AICEP denoto uma muito maior consciência quanto à necessidade de modernizar a agência e abertura para transformação digital, desde logo ao nível do conselho de administração e quadros".

perfil

Transformação em gestor

João Dias, 43 anos, é licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) e mestre em Economic History pela London School of Economics (LSE). Tem também licenciatura e mestrado em Psicologia pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA). Iniciou a carreira profissional como técnico superior no Departamento de Prospectiva e Planeamento (DPP).

Entre 2005 e 2011, foi adjunto económico de José Sócrates, primeiro-ministro, tendo, a partir de 2009, acumulado com a função de coordenador nacional do Gabinete para a Mobilidade Eléctrica em Portugal.

Depois foi administrador da Prio Energy (distribuidora de combustíveis) e CEO da Prio.E (mobilidade elétrica).

Em março de 2014 foi para administrador da EMEL. Desde Abril de 2017 é administrador da AICEP.



O líder digital segundo João Dias

1. Conhecer profundamente a organização e mergulhar a fundo na operação.

2. Conseguir envolver toda a empresa numa profunda reflexão estratégica sobre a empresa, o que quer ser, qual o propósito da empresa, como se torna útil para os clientes.

3. Colocar o cliente no centro, pois permite redesenhar a organização e quebrar a lógica das "quintinhas" (muito comum no sector público).

4. Tirar o máximo partido da tecnologia, explorando as possibilidades que traz de novos serviços e inovação, de redução de custos.

5. Talvez o mais difícil e que é envolver as pessoas. Envolver todos para que sejam co-criadores desta construção, começando pela gestão de topo, mas é fundamental agregar as equipas operacionais que asseguram o dia a dia da empresa. 




Marketing Automation certified by E-GOI