Outros sites Cofina
Notícia

Os desafios do pós-pandemia

A 10.ª edição do Prémio Saúde Sustentável pretende dar visibilidade às entidades e pessoas que estão a construir o futuro, com uma visão prospetiva da saúde, assente sustentabilidade, para enfrentar os desafios pós-pandemia.

Filipe S. Fernandes 19 de Maio de 2021 às 12:30
A edição do ano passado foi dedicada a quem se destacou na luta contra a pandemia de covid-19
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A 10.ª edição do Prémio Saúde Sustentável já está em marcha com a abertura das candidaturas a 6 de maio e que se prolongam até 30 junho de 2021. Este ano pretende-se dar visibilidade às entidades e pessoas que estão a construir o futuro, que têm uma visão prospetiva da saúde, assente nos princípios de sustentabilidade, para enfrentar os desafios pós-pandemia. Como diz Francisco del Val, diretor-geral da Sanofi, "acreditamos que o Prémio Saúde Sustentável é uma das melhores formas de homenagear quem trabalha em saúde e os doentes que servimos".

O Prémio Saúde Sustentável é uma iniciativa do Negócios e da Sanofi, orientada para a divulgação e incentivo de boas práticas da sustentabilidade da saúde em Portugal, que conta com metodologia de avaliação desenvolvida pela Everis e que em 2020, pela primeira vez e por decisão unânime do júri, foi dedicada à partilha das boas práticas em contexto de covid-19.

O Prémio Saúde Sustentável tem duas dimensões, uma dedicada às organizações e instituições, e outra às personalidades. No caso da distinção institucional, o Prémio Saúde Sustentável vai atribuir galardões correspondentes às seguintes categorias: promoção da saúde e prevenção da doença; cuidados de saúde centrados no cidadão; sustentabilidade económica e financeira; integração de cuidados; e inovação e transformação digital.

Qualquer entidade que preste cuidados de saúde em Portugal, quer pública quer privada, individual, coletiva ou do sector social, pode e é convidada a participar no Prémio Saúde Sustentável, podendo candidatar-se até três das cinco categorias.

10 anos de prémios

Entre os principais critérios de análise e avaliação das candidaturas estão fatores que vão desde a satisfação dos utentes e/ou experiência do cidadão, os ganhos em saúde, a pluralidade institucional e multidisciplinar, até à eficiência, à replicabilidade até à sustentabilidade ambiental. Nestas nove edições já foram distinguidas 65 instituições de vários pontos do país mas com predominância para a faixa litoral, do Minho a Setúbal. Entre vencedores (42) e menções honrosas (41) já foram entregues 83 prémios.

Estes 10 anos deram-nos a possibilidade de conhecer projetos com enorme mérito e valor na área da saúde.  Francisco Del Val, Diretor-geral da da Sanofi 

"Estes 10 anos deram-nos a possibilidade de conhecer projetos com um enorme mérito e valor na área da saúde, além de os podermos premiar e divulgar a nível nacional. São exemplo os projetos Resultados em Saúde e a Transição Digital do Centro Hospitalar Universitário São João; Cuidar em Humanitude Prevenção e Promoção da Saúde da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande; ou Cuidados Paliativos Domiciliários da Humanizar, entre muitos outros", sublinhou Francisco del Val.

O Prémio Personalidade Saúde Sustentável é uma distinção não sujeita a candidatura. É uma escolha do júri que tem a missão a seleção e escolha a personalidade com maior destaque e relevo na promoção de práticas sustentáveis na área da saúde e que merece ser distinguida.

Nestas nove edições já foram premiadas personalidades que pela sua diversidade e capacidade contribuíram para a modernização e massificação do sistema nacional de saúde em Portugal. Premiaram-se personalidades relevantes na área dos cuidados de saúde, da investigação, da prática da medicina, do combate à pandemia de covid-19, como José Pereira Miguel, Odete Santos-Ferreira, João Lobo Antunes, Manuel Sobrinho Simões, João Rodrigues Pena, Francisco George, Fernando Pádua, Cristina Resende de Oliveira e Fernando Araújo.

Mais notícias