Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Luís Marques Mendes 06 de Junho de 2021 às 21:03

"Ana Catarina Mendes está a ser lançada como sucessora de Costa em 2023"

As críticas de Ana Catarina Mendes a Pedro Nuno Santos e as implicações na corrida à sucessão de António Costa no PS são um dos temas abordados por Luís Marques Mendes no habitual espaço de comentário na SIC. A saída de Portugal da "lista verde" do Reino Unido, a candidatura com Espanha à organização do Mundial 2030, o avanço da vacinação e o problema dos jovens no verão são outros temas do comentário.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A SAÍDA DOS INGLESES

 

1.     A decisão do Reino Unido é politicamente egoísta e incompreensível do ponto de vista sanitário:

a)     A nossa incidência de casos tem aumentado, é certo; mas é um aumento curto e continuamos muito abaixo da média da UE;

b)     A variante indiana tem peso, é verdade, mas um peso muito residual (muito inferior ao que tem no Reino Unido) e da mutação nepalesa só há 12 casos em Portugal;

c)     A vacinação, cá e no Reino Unido, avança a um ritmo bom, o que faz com que o nível de protecção seja grande.

 

2.     Mas igualmente incompreensível é a reação do Governo Português. O Governo diz que foi apanhado desprevenido pela decisão do Reino Unido. Que não sabia de nada. Mas isso é que é grave. É uma confissão de falhanço. Os governos existem para prevenir problemas, agindo por antecipação. Foi o que faltou. E, se os argumentos britânicos são frágeis, mais uma razão para o Governo português ter agido por antecipação para evitar a decisão.  

 

3.     Esta é uma decisão com consequências económicas sérias para Portugal:

a)     Vai esfriar o crescimento da economia por causa do turismo. Afinal 3/4  da queda do PIB em 2020 deveu-se ao colapso do turismo.

b)     Acresce que a bazuca europeia continua no papel, depois de ter sido aprovada há 11 meses. Um flop da Presidência Portuguesa da UE.

c)     A boa notícia é o Certificado Verde para viajar sem restrições. Novidades: a partir da próxima semana (14 de Junho), o certificado vai começar a ser descarregado; entrará em vigor no dia 1 de Julho em todo o espaço europeu; e a UE está a negociar com EUA e RU a utilização do mesmo certificado, o que pode ajudar a  resolver o problema agora criado pelo RU.

 

 

A "PROIBIÇÃO" DOS SANTOS POPULARES

 

1.     No actual estado da arte, percebe-se a decisão de proibir os arraiais dos Santos Populares. Não se pode facilitar. O número de novos contágios em Lisboa tem vindo a subir de forma significativa.

E convém não facilitar para o futuro. Não quero ser desmancha prazeres mas os factos são o que são: os novos casos estão a aumentar; as novas variantes estão a crescer; temos as fronteiras abertas com o mundo descontrolado(veja-se a América Latina); já há pressão para adiar Jogos Olimpicos; a Copa América já mudou de País. A vacinação ajuda mas não faz milagres.

 

2.     E neste Verão vamos ter um problema sério com os jovens:

a)     O Governo manteve o confinamento de bares e discotecas. Mesmo daquelas que têm espaços ao ar livre. Um erro enorme. Um convite à irresponsabilidade. Alguém acredita que em Agosto os jovens vão ficar em casa e deitar-se à meia-noite? Claro que não. Vão encontrar esquemas ilegais e desordenados de confraternização, agravando contágios e saúde pública.

b)     Era preferível, em alternativa, fazer duas coisas diferentes:

·     Primeiro, era preferível um desconfinamento de bares e discotecas devidamente condicionado, com lotação limitada, com regras definidas, com testes à entrada. É preferível abrir com regras do que proibir sem qualquer eficácia.

·     Segundo, era preferível abrir uma linha de vacinação prioritária para jovens acima dos 18 anos, ainda antes do Verão, porque esta faixa etária vai ser o grande caso de contágios no Verão. Tudo sem prejudicar as outras faixas etárias.

 

 

 

VACINAÇÃO

 

1.     O estado da arte

a)     Doses administradas  O processo continua em bom ritmo. Já temos 6,4 milhões de doses administradas; 4,1 milhões pessoas com uma dose; 2,3 milhões com vacinação completa.

b)     Faixas etárias vacinadas  As faixas etárias de maior risco estão vacinadas, ou seja, até aos 60 anos. A taxa de vacinação nestes grupos é superior a 90%.

c)     Vacinação por regiões – A vacinação por regiões está equilibrada.

d)     O decisivo mês de Junho  Em Junho acabará a vacinação da faixa dos 50-59. Abre hoje a vacinação dos 40-49 e na última semana do mês a vacinação dos 30-40.

 

2.     Novidades do processo de vacinação:

a)     Vacinação em 2022 e 2023 – Apesar de ainda não estar cientificamente decidido, é muito provável que seja necessária nova vacinação, quer em 2022, quer em 2023. A UE já está a trabalhar nesse sentido: comprou já 900 milhões de doses para 2022 e 2023 (450 milhões em cada ano); todos os países da UE reservaram a sua parte, excepto a Hungria; a vacina dominante é a Pfizer, mas a surpresa poderá ser a Curevac.

b)     Modelo Casa Aberta  Qualquer pessoa com mais de 60 anos que ainda não esteja vacinada pode fazê-lo com facilidade, desde que a qualquer dia e a qualquer hora se apresente num centro de vacinação.

c)     Vacinas da Janssen e da Pfizer  A DGS vai autorizar que a vacina da Janssen se aplique a homens com menos de 50 anos, o que significa mais vacinas disponíveis; e a mesma DGS está a estudar, por razões técnicas e científicas, que o intervalo de toma da vacina da Pfizer passe de 4 para 6 semanas.

 

 

 

CONFLITOS NO PS

 

1.     Ana Catarina Mendes, líder parlamentar do PS, resolveu criticar o Ministro Pedro Nuno Santos pelo facto de ele ter entrado em polémica com o CEO da Ryanair. Isto parece um fait-divers. Mas não é.

·     É mais um episódio da guerra interna pela sucessão de António Costa no PS. O actual PM deve sair da liderança do PS na Primavera de 2023. Pedro Nuno Santos é o grande favorito a suceder a António Costa. Só que a solução não é do agrado do actual PM. E António Costa tenta encontrar uma alternativa.

·     Medina foi a primeira hipótese. Mas Medina já está fora desse jogo. Ele pôs-se fora desse campeonato. Mais depressa pode ser candidato a PR em 2026 que candidato a líder do PS antes disso.

·     Ana Catarina é uma segunda hipótese, uma segunda escolha. Está a ser lançada. Veremos se tem condições.

 

2.     Posto isto, há que dizer que Ana Catarina Mendes não foi nem correcta nem muito inteligente. Ela não é comentadora. É líder parlamentar. E uma líder parlamentar a criticar um Ministro do seu Governo não só não é correcto do ponto de vista da solidariedade política como só serve para suscitar animosidades internas.

 

3.     Quanto a António Costa, a sua ambição é a de chegar em 2024 a Presidente do Conselho Europeu. Em 2019 foi sondado para o lugar mas não pôde aceitar. Havia eleições legislativas em Portugal. Agora, vai tentar alcançar esse lugar europeu em 2024. E, para tal, tem de ser sair do governo em 2023. Porque disputar eleições em 2023 e sair oito meses depois para a UE seria suicídio, na forma agravada de reincidência. Ou seja: para ser dirigente europeu em 2024 tem de sair do Governo em 2023.

 

CAMPEONATO MUNDIAL DE FUTEBOL

 

1.     Portugal e Espanha formalizaram esta semana uma candidatura conjunta ao Mundial de Futebol de 2030.

É uma boa decisão da FPF desde que tal não implique mais despesa, mais estádios a construir, a repetição da aventura financeira que envolveu o Euro de 2004.

Ao que apurei, não haverá investimento em novos estádios. Trata-se de aproveitar os estádios que foram construídos para o Euro de 2004. Sobretudo os estádios da Luz e do Dragão.

Mas convinha que a FPF esclarecesse formalmente esta questão, antes que se comece a gerar equívocos e falsas informações.

 

2.     O grande adversário desta candidatura é o RU. Mas atenção: o facto de, este ano e no ano anterior, Portugal ter resolvido à UEFA a problema da Final da Liga dos Campeões vai ajudar muito a candidatura ibérica a vencer. Sem esquecer que Espanha tem o peso que tem. Ou seja: boas notícias em perspectiva.

 

Ver comentários
Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias