Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Trump quer dar cheques acima de mil dólares a cada americano

O Senado norte-americano vai avaliar um pacote orçamental de emergência aprovado pela Câmara dos Representantes que se destina a ajudar no combate à pandemia da covid-19, uma vez que a Administração Trump pediu mais 850 mil milhões de dólares. O presidente quer dar cheques acima de mil dólares a todos os cidadãos.

Reuters
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 17 de Março de 2020 às 16:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • 11
  • ...

Donald Trump quer dar aos norte-americanos mais de mil dólares em transferências diretas, no âmbito do programa de apoio económico de combate ao novo coronavírus, refere a Bloomberg citando fontes conhecedoras do processo.

 

No fim-de-semana, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou uma medida para atribuir baixa médica a mais trabalhadores e o aumento do subsídio de desemprego, entre outras diligências, incluindo verbas adicionais de mil milhões de dólares para ajudar na alimentação de crianças, cidadãos seniores e outros.

 

O Congresso ainda não deu luz verde a esta nova medida, pois falta o Senado pronunciar-se, mas Trump já avançou com novas propostas: quer uma robusta verba adicional para ajudar a lidar com o impacto da rápida propagação da covid-19, que tem feito afundar os mercados financeiros em todo o mundo e está a provocar fortes perturbações na economia norte-americana.

 

Dessa verba, pretende dar um cheque acima de mil dólares a cada cidadão.

 

O secretário norte-americano do Tesouro, Steven Mnuchin, quer falar sobre um pacote de estímulos adicionais, no valor de 850 mil milhões de dólares, estando por isso prevista para hoje uma reunião com os republicanos do Senado, no Capitólio, afirmou à Bloomberg um responsável do governo.

 

Este financiamento orçamental inclui ajuda às companhias aéreas, a par com um corte no IRS, entre outras disposições, nomeadamente os cheques acima de mil dólares.

 

Mnuchin disse que a Administração Trump quer avançar com pagamentos diretos aos norte-americanos num prazo de duas semanas. "Os americanos precisam de dinheiro já e o presidente quer dar-lhes dinheiro já. E quando digo já, falo nas duas próximas semanas", declarou o secretário do Tesouro num briefing esta tarde na Casa Branca, ladeado pelo presidente do país.

 

Steven Mnuchin afirmou, citado pela Bloomberg, que o governo não visa enviar cheques a milionários, mas sublinhou o carácter urgente desta medida.

 

Disse também que tudo será feito para que os americanos recebam dinheiro o mais rapidamente possível e acrescentou que não está ainda definido o valor de cada cheque mas que querem que seja superior a mil dólares.

No entanto, sublinha a Bloomberg, poderá não ser tão rápido quanto Trump deseja. Quando o Congresso atribuiu cheques de estímulo, em 2009, para combater a crise financeira, demorou mais de dois meses entre assinar o decreto e os cheques chegarem às caixas de correio.

 

No sábado, recorde-se, o Congresso aprovou – e Trump homologou – um pacote no valor de 8,3 mil milhões de dólares para combater o novo coronavírus. Agora que o Senado está a avaliar o pedido adicional de mil milhões de dólares já aprovado pela Câmara dos Representantes, surgiu este novo pedido no valor de 850 mil milhões de dólares.

 

Relativamente aos mercados, Mnuchin salientou que o governo pretende manter as bolsas abertas. Isto depois de ontem já ter havido vozes a defender o encerramento dos mercados financeiros – decisão que hoje foi tomada pelas Filipinas.


(notícia atualizada às 17:25)

Ver comentários
Saber mais Donald Trump Câmara dos Representantes dos Estados Unidos Senado política
Outras Notícias