Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Revista do ano: Abril

Abril começa com as notícias sobre a revisão do modelo de parceria da família Espírito Santo e do Crédit Agricole. Isso levaria à extinção da BESPAR. Nas semanas seguintes, o Grupo Espírito Santo continuou a centrar as atenções. Ainda neste mês, o Tesouro realizou a primeira emissão de OT sem apoio dos bancos, concluindo o processo de regresso aos mercados.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 16 de Dezembro de 2014 às 08:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Acontecimentos nacionais 

 

1 de Abril BESPAR a caminho da extinção

A família Espírito Santo decidiu rever a parceria histórica com o Crédit Agricole por recomendação do Banco de Portugal. Com isso,  a BESPAR, que concentrava as participações de ambos, estava perto do fim. A extinção desta "holding" retirava o ESFG da supervisão do Banco de Portugal, reduzindo as suas necessidades de capitalização. Um dias mais tarde, no Relatório e Contas de 2013, o banco francês assume a "redefinição da parceria" no BES como mais um passo "na recentragem das suas participações bancárias". A 10 de Abril, é publicado o relatório e contas do BES onde é anunciado que o financiamento dos clientes de retalho a empresas do braço não financeiro do grupo familiar ascendia a 2.130 milhões de euros no final do ano passado.

 

3 de Abril Governo aprova 59 projectos prioritários

O Governo define, a 3 de Abril, 59 projectos de infra-estruturas prioritárias para os próximos oito anos, que totalizam um investimento de 6.067 milhões de euros. O anúncio do ministro da Economia e do secretário de Estado das Infra-Estruturas superou o número de projectos elencados pelo grupo de trabalho para as infra-estruturas de elevado valor acrescentado (IEVA). Este grupo tinha apontado para um total de 30 projectos prioritários com investimento estimado em cerca de 5,1 mil milhões de euros.

 

Aquando do anúncio, Pires de Lima sublinhou que o esforço público através do Orçamento do Estado deverá financiar entre 1.400 e 1.700 milhões de euros destes projectos. O Governo estima em 2.828 milhões os fundos comunitários e em 1.880 os fundos privados. "É um plano ambicioso mas que mostra também critério e prudência", frisou o ministro.

 

4 de Abril Frasquilho é o novo presidente da AICEP

Pedro Reis confirmou a 6 de Fevereiro que iria abandonar a presidência da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal), cargo que ocupava desde Dezembro de 2011. No início de Abril, foi anunciado que Miguel Frasquilho, economista e até então vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, aceitou o convite do primeiro-ministro para ser o seu sucessor.

 

6 de Abril Passos Coelho admite discutir aumento do salário mínimo

Durante a sua intervenção no encerramento do 13.º Congresso Nacional dos Trabalhadores Social Democratas, em Albufeira, Pedro Passos Coelho afirmou que o Governo estava disponível para fazer concessões na Concertação Social. "Digo hoje perante o país que o Governo está disponível para aprofundar o esforço de concertação (...) de modo a trazer para cima da mesa a discussão da melhoria do salário mínimo nacional e a revisão do que tem a ver com as condições da negociação colectiva", disse o primeiro-ministro.

 

Posteriormente, a 1 de Outubro, o salário mínimo nacional, que estava congelado desde 2011, aumentou de 485 euros para 505 euros. Esta subida abrangeu quase meio milhão de trabalhadores e vai vigorar até 31 de Dezembro de 2015.

 

17 de Abril RTP transmite o primeiro sorteio da Factura da Sorte 

A Quinta-Feira Santa, 17 de Abril, foi a primeira quinta-feira de sorteio da Factura da Sorte. A RTP foi o canal escolhido para a transmissão deste acontecimento em horário nobre. A concurso estavam 207.321.890 cupões relativos a Janeiro. Os Audi A4 e A6 são os dois modelos que os portugueses podem ganhar com este sorteio da Factura da Sorte. No primeiro ano, serão realizados 54 concursos. O objectivo é "valorizar e premiar a cidadania fiscal".

 

22 de Abril Arranca última avaliação da troika

A 22 de Abril tem início a décima segunda e última avaliação da troika ao programa de ajustamento nacional. Decorre a última reunião dos representantes da troika com os grupos parlamentares. Destes encontros saiu a conclusão que a "austeridade é para continuar". Uma semana antes, em Conselho de Ministros, o Governo aprovou as medidas para reduzir o défice para 2,5% do PIB em 2015. O objectivo é reduzir o défice através de um pacote de medidas avaliado em 1.400 milhões de euros, do qual 87% serão poupanças na máquina do Estado.  

 

23 de Abril Primeiro leilão sem apoio dos bancos

O Tesouro realiza o primeiro leilão de dívida a dez anos sem apoio dos bancos, desde que  foi anunciado o pedido de ajuda externa. Portugal emitiu 750 milhões de euros em dívida a 10 anos, com o Tesouro a suportar uma taxa de 3,592%. Nesta emissão, a procura superou em cerca de três vezes e meia o montante colocado. A operação significou a conclusão do processo de regresso aos mercados.

 

28 de Abril Fim do aumento de capital da Oi

A 28 de Abril, termina aumento de capital da Oi, um passo fundamental para a conclusão da fusão com a PT. No âmbito desta operação, a empresa portuguesa entregou os activos da PT Portugal, avaliados em 1.750 milhões de euros, à Oi.

O BPI não é uma monarquia e, portanto, não tenho que preparar sucessão nenhuma.

 
Fernando Ulrich

Presidente-executivo do BPI 

 

Acontecimentos internacionais

 

1 de Abril Manuel Valls toma posse em França

No primeiro dia de Abril, Manuel Valls assumiu o cargo de primeiro-ministro de França, substituindo Jean-Marc Ayrault, que se demitiu na sequência da derrota dos socialistas nas eleições locais. Em Agosto, Valls apresentou a demissão do Governo ao Presidente François Hollande, depois de ter entrado em ruptura com o ministro da Economia. Foi constituído um novo executivo, tendo saido os três ministros que se mostraram contrários à linha política seguida por Hollande e Valls. 

 

3 de Abril BCE discute novas medidas de estímulo

Após a reunião mensal de política monetária, Mario Draghi admitiu que a compra de dívida pública e privada, conhecida como "quantitative easing"  foi discutida pelo Conselho de Governadores. "Existe unanimidade no Conselho de Governadores em torno de um compromisso para a utilização também de medidas não convencionais para lidar com um longo período de inflação baixa", afirmou o presidente do BCE. O presidente do banco central acrescentou ainda que as medidas convencionais não estavam esgotadas, mas que "todos os instrumentos dentro do mandato, incluindo o 'quantitative easing'" estão
disponíveis.

 

 

7 de Abril Arranca o processo eleitoral da Índia, a maior democracia do mundo 

A Índia, a maior democracia do mundo ao contar com 814 milhões de eleitores, iniciou a 7 de Abril o seu processo eleitoral que continuou durante seis semanas. A 16 de Maio foi anunciado que Narendra Modi venceu as eleições com maioria e passou a ser o novo primeiro-ministro da Índia, retirando do Governo o partido da dinastia Gandhi, há 10 anos no poder. Conseguiu, com aliados, cerca de 60% dos lugares disponíveis no Parlamento.

 

10 de Abril Grécia regressa aos mercados

Em Abril deste ano, a Grécia realizou a primeira emissão de dívida de longo prazo desde 2010. Atenas regressou aos mercados com uma emissão de dívida a cinco anos, tendo-se financiado em três mil milhões de euros, mais do que o previsto, a uma taxa inferior a 5%. Quatro dias mais tarde, é anunciado que o défice público da Grécia atingiu os 23,1 mil milhões de euros no ano passado, pelo que Atenas fechou as contas de 2013 com um défice de 12,7% do PIB.

 

28 de Abril Bruxelas assina resgate à Ucrânia

À semelhança do que aconteceu no mês anterior, a tensão entre a Rússia e a Ucrânia agudizou-se em Abril. Os manifestantes pró-russos da região de Donekst, na zona oriental da Ucrânia, declararam de forma unilateral a independência relativamente a Kiev e a soberania de uma "República popular". No final do mês, o vice-presidente da Comissão Europeia, Siim Kallas, assinou o memorando de entendimento relativo ao resgate de mil milhões de euros concedido pela União Europeia à Ucrânia de modo a ajudar o país a a satisfazer as suas necessidades de financiamento. No mesmo dia, a União Europeia e os Estados Unidos anunciam um reforço das sanções contra a Rússia. 

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias