Economia Ana Paula Vitorino: Portos devem ser "agentes de mudança"

Ana Paula Vitorino: Portos devem ser "agentes de mudança"

O sistema portuário mundial tem de estar na vanguarda da implementação da economia do mar, defendeu esta quarta-feira a ministra do Mar, no World Ocean Summit 2018, que termina sexta-feira no México.
Ana Paula Vitorino: Portos devem ser "agentes de mudança"
Pedro Elias
Raquel Oliveira 07 de março de 2018 às 22:31

"Os portos devem ser agentes de mudança, promovendo o aparecimento de empresas focadas em negócios sustentáveis", afirmou Ana Paula Vitorino, perante uma plateia de responsáveis governamentais, empresariais e ambientalistas de todo o mundo.  

As infra-estruturas portuárias têm espaço, um acesso directo ao mar e já acolhem empresas. Ou seja, têm as condições necessárias para funcionar como "ninhos" para empresas que querem desenvolver produtos ou serviços  inovadores. Trata se agora de conjugar esforços, desafia a ministra do mar, para o movimento ser mundial. 


"Os governos dos países marítimos devem trabalhar em conjunto para criar uma rede global de Port Tech Clusters, financiada por meio de parcerias público-privadas internacionais, focada nas novas indústrias que fazem a economia circular azul," sublinhou Ana Paula Vitorino. 


Outras das frentes da actuação política deverá ser a defesa de um transporte marítimo menos poluente." É urgente que os governos sejam mais proactivos no transporte verde, implementando incentivos e agilizando consórcios de financiamento internacional que não só acelere a eficiência energética do transporte marítimo, mas também o uso de gás natural liquefeito (GNL), células de combustível, electricidade e outras fontes de energia com baixa emissão de carbono", concretizou.


Como exemplos desta estratégia em Portugal, a ministra do Mar apontou a criação do Fundo Azul, que financia projectos inovadores, e o incentivo a promoção do LNG nos navios.

 
Ana Paula Vitorino foi uma das oradoras convidadas para falar sobre o papel dos governos no âmbito da Inovação e Tecnologia nesta conferência internacional organizada pela The Economist. No México estão cerca de 400 personalidades, entre governantes, académicos e ambientalistas.  

* No México, a convite da Direcção-geral de Política do Mar




pub