Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

New York Times destaca as "luas" de Costa na "grande retoma" de Portugal

A recuperação da economia portuguesa volta a ocupar as páginas dos jornais estrangeiros, com o título americano a apontar a escolha de Centeno para o Eurogrupo como "prémio" pela resposta alternativa à crise na Europa.

António Costa passou em Times Square, em meados de Junho, numa acção de promoção da onda da Nazaré. Nuno Veiga/Lusa
António Larguesa alarguesa@negocios.pt 23 de Julho de 2018 às 11:15
  • Partilhar artigo
  • 32
  • ...

Do "humilhante resgate internacional" à "ousadia de abandonar a austeridade". A transformação da economia portuguesa nos últimos oito anos volta a estar esta segunda-feira, 23 de Julho, em destaque na imprensa internacional. Desta vez foi o New York Times a publicar uma reportagem que destaca a formação da geringonça como "a ignição para um ciclo virtuoso que meteu a economia num percurso de crescimento".

 

Neste "desafio aos críticos que insistiam na austeridade como a resposta para o crescimento económico e para a crise financeira", o jornal americano sublinha que os responsáveis europeus tiveram de admitir que "Portugal pode ter encontrado uma melhor resposta para a crise" e, inclusive, "premiaram Lisboa ao elevar o ministro das Finanças, Mário Centeno, que ajudou a projectar estas mudanças, a presidente do influente" Eurogrupo.

 

Por outro lado, neste artigo elogioso assinado por Liz Alderman, a correspondente que a partir de Paris escreve sobre matérias económicas europeias, são assinaladas também algumas "vulnerabilidades" estruturais e conjunturais, como o arrefecimento da economia durante este ano, a precariedade laboral, o salário mínimo de apenas 580 euros ou o investimento público em mínimos de quatro décadas para conter o défice, ao mesmo tempo que cresce a contestação por parte dos sindicatos.

 

Em declarações citadas pelo NYT, António Costa admite que "ainda há muito para fazer". "Não passámos do lado escuro para o lado luminoso da lua", ilustra o primeiro-ministro, que em meados de Junho andou por Times Square a promover a onda da Nazaré. Ainda assim, o governante reclama que no início da legislatura "muitas pessoas diziam que aquilo que [queriam] atingir era impossível" e que a aliança protagonizada por socialistas, comunistas, bloquistas e Verdes "mostrou que há uma alternativa".

O barómetro político da Aximage para o Negócios e Correio da Manhã, referente a Julho, mostra que o PS continua a liderar as intenções de voto para as eleições legislativas de 2019, obtendo 39% e subindo dois pontos face ao mês passado. A confirmarem-se estas previsões, Costa precisará de repetir a "geringonça" ou de procurar apoio no PSD de Rui Rio para governar com maioria no Parlamento.

Ver comentários
Saber mais economia crise austeridade retoma new york times antónio costa mário centeno geringonça
Outras Notícias