Turismo & Lazer Onda da Nazaré "inunda" Nova Iorque

Onda da Nazaré "inunda" Nova Iorque

No dia em que a World Surf League anuncia a troca de França por Portugal como sede europeia, o Turismo de Portugal promove, e por duas semanas, um spot em Times Square, Nova Iorque, com a onda da Nazaré.
A carregar o vídeo ...
Alexandra Machado 15 de junho de 2018 às 15:39

A onda da Nazaré vai estar durante duas semanas numa das principais áreas de Nova Iorque. O spot de 30 segundos vai passar num painel LED em dois edifícios de Times Square, na cidade que nunca dorme, "um deles com a dimensão da onda da Nazaré", segundo informação dada ao Negócios pela secretaria de Estado do Turismo.

O anúncio vai ser exibido durante duas semanas. Segundo apurou o Negócios, a acção promocional é da responsabilidade do Turismo de Portugal e representa um custo de 240 mil euros.


A activação do painel electrónico de promoção do turismo em Portugal vai ter a presença do primeiro-ministro António Costa, do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da secretária de Estado do Turismo, Ana Godinho Mendes, que estão em visita aos Estados Unidos da América.

Terão ao seu lado o surfista McNamara e Rodrigo Koxa, que detém o recorde da maior onda surfada, assim como a presidente da World Surf League, Sophie Goldschmidt.

A World Surf League anunciou, aliás, a instalação em Portugal da sede europeia, que desde finais dos anos 1980 se encontra em Capbreton (junto a Biarritz), França.

"A vinda da sede europeia da World Surf League mostra que Portugal é o melhor país da Europa para a prática de surf e um destino mundial obrigatório", salienta, numa declaração escrita ao Negócios, a secretária de Estado do Turismo, explicando que para a decisão pesou "o facto de termos praias com ondas de qualidade mundial em todo o país e de sermos um 'hub' aeroportuário entre a Ásia, África e Américas".

À Lusa, Francisco Spínola, representante da World Surf League, reafirma que com esta mudança da sede "Lisboa e Portugal vão ser a montra do surf europeu para o mundo".

De acordo com o responsável, esta mudança decorre da organização em Portugal das principais provas da WSL, sejam etapas dos circuitos mundiais masculinos, femininos e de ondas gigantes, assim como dos mundiais de juniores, mas também da proximidade das praias. De acordo com a Lusa, Portugal é o país europeu com mais provas da WSL, organizando, em 2018, uma etapa do circuito mundial (MEO Rip Curl Pro Portugal, em Peniche), três do de qualificação (Caparica Pro, Pro Santa Cruz e EDP Billabong Pro Ericeira) e uma de ondas gigantes (Nazaré Challenge).

A estrutura vai ser instalada, numa primeira fase, em Lisboa, com cerca de 10 a 12 trabalhadores.

Segundo Francisco Spínola, a estrutura a instalar em Portugal vai ficar como "centro decisório" do surf na Europa, mas também em África e no Médio Oriente.