Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Primeiro-ministro escolhe Graça Mira Gomes para secretária-geral do SIRP

O primeiro-ministro, António Costa, indigitou esta segunda-feira a embaixadora Maria da Graça Mira Gomes para o cargo de secretária-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP).

Miguel Baltazar
Lusa 04 de Setembro de 2017 às 19:54

Segundo fonte oficial, o nome da nova secretária-geral do SIRP foi já enviado para a Assembleia da República. "O primeiro-ministro informou o líder do principal partido da oposição, dr. Pedro Passos Coelho, desta indigitação", lê-se no comunicado do Governo.

 

A nova secretária-geral do SIRP exerce actualmente as funções de embaixadora portuguesa junto da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), em Viena, cargo que ocupa desde 2015 e, nessa qualidade, presidiu em 2016 ao Fórum para a Cooperação na Segurança e à Comissão Consultiva e ao Tratado "Open Skies".

 

Diplomata de carreira, licenciada em Direito pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica de Lisboa, com pós-graduação em Estudos Europeus da mesma Universidade, o Governo defende que a embaixadora Graça Mira Gomes "possui larga experiência em questões relacionadas com a política externa e de segurança e defesa".

 

Na mesma nota, o Governo salienta que o primeiro-ministro "agradece ao dr. Júlio Pereira os serviços prestados na liderança do Sistema de Informações da República Portuguesa, primeiro como director-geral adjunto dos Serviços de Informação e Segurança (SIS) (1997-2000) e depois como secretário-geral do SIRP (2005-2017)".

 

Esta é a segunda vez que António Costa faz uma indigitação para o cargo de secretário-geral do SIRP, tendo primeiro indicado o embaixador José Júlio Pereira Gomes para suceder a Júlio Pereira.

 

Em Maio, o primeiro-ministro convidou o embaixador Pereira Gomes para substituir o secretário-geral do SIRP em funções, Júlio Pereira, mas logo a seguir a eurodeputada socialista Ana Gomes levantou dúvidas sobre o perfil do embaixador para este cargo.

 

Ana Gomes referiu-se a episódios de 1999, após o referendo que levou à independência de Timor-Leste, quando Pereira Gomes dirigiu a "Missão de Observação Portuguesa ao Processo de Consulta da ONU", acusando-o de ter abandonado o território numa altura em que se registava um crescendo de violência por parte de milícias pró-indonésias - posição que foi depois corroborada pelos jornalistas Luciano Alvarez e José Vegar.

 

No entanto, em Junho, Pereira Gomes manifestou-se indisponível para liderar as ‘secretas’ portuguesas, na sequência de uma polémica em torno da sua acção aquando do processo de independência de Timor-Leste, em 1999.

 

"Importando salvaguardar a dignidade do cargo de secretário-geral do SIRP de toda e qualquer polémica, que naturalmente se repercutiria negativamente no exercício das suas funções, resolvi comunicar a S. Exa. o primeiro-ministro a minha indisponibilidade para aceitar o cargo para que me havia convidado, agradecendo-lhe a confiança em mim depositada", lia-se na carta que, em Junho passado, enviou ao primeiro-ministro.

 

De imediato, António Costa aceitou o pedido de renúncia por parte do embaixador e antigo secretário de Estado do segundo Governo liderado por António Guterres.

 

 

Ver comentários
Saber mais José Vegar Pedro Passos Coelho Ana Gomes Graça Mira Gomes José Júlio Pereira Gomes Missão de Observação Portuguesa ao Processo de Consulta da ONU Timor-Leste Luciano Alvarez política secretário-geral do SIRP SIRP
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio