Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

UE põe ambições da China na mira com tarifa inédita sobre importações

Pela primeira vez, Bruxelas vai avançar com uma tarifa sobre bens importados devido a subsídios concedidos por Pequim a empresas sediadas fora da China.

3º Xi-Jinping – Presidente da China
reuters
Rita Faria afaria@negocios.pt 15 de Junho de 2020 às 12:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 34
  • ...

A União Europeia tomou esta segunda-feira uma medida sem precedentes, que poderá ser o primeiro passo para travar as ambições comerciais da China. Pela primeira vez, o bloco decidiu avançar com tarifas sobre importações devido a subsídios concedidos por um Estado a exportadores sediados noutro país, e que criam distorções de mercado.

Até ao momento, a União Europeia só havia direcionado estas penalizações a subsídios concedidos pelo país de onde as exportações tinham origem.

"É um caso histórico que pode levar a muitos outros semelhantes", afirmou Agatha Kratz, diretora associada do Rhodium Group, que faz pesquisa sobre as relações UE-China e diplomacia comercial chinesa. "O apoio estatal chinês está generalizado além das fronteiras da China, com efeitos distorcidos na UE e noutros lados", acrescentou a responsável, citada pela Bloomberg.

Em causa estão importações de fibra de vidro do Egito, de dois fabricantes - Jushi Egypt for Fiberglass Industry SAE e Hengshi Egypt Fiberglass Fabrics SAE - que são subsidiárias das chinesas China Jushi Co. e Zhejiang Hengshi Fiberglass Fabrics Co.

As duas empresas estão sediadas na Zona de Cooperação Económica e Comercial China-Egito, no Canal do Suez, que faz parte da controversa iniciativa chinesa Uma Faixa, uma Rota (Belt and Road) de desenvolvimento de infraestrutura global.

Segundo a União Europeia, os dois fabricantes recebem benefícios financeiros dos governos da China e do Egipto, e esse apoio, juntamente com subsídios aos tecidos de fibra de vidro exportados diretamente da China, prejudicam injustamente os fabricantes da UE, como a finlandesa Ahlstrom-Munksjo Oyj.

Além desta, também empresas como a belga European Owens Corning Fiberglas SPRL e a francesa Chomarat Textiles Industries SAS sofreram "prejuízos materiais" decorrentes da concorrência desleal, diz a UE.

A taxa agora imposta sobre as importações de fibra de vidro do Egito é de 10,9% e terá uma duração de cinco anos.

Como parte da mesma decisão, a UE vai impor tarifas entre 17% e 30,7% sobre a fibra de vidro importada diretamente da China.

Ver comentários
Saber mais China União Europeia tarifas
Mais lidas
Outras Notícias